terça-feira, 10 de novembro de 2009

Alvará pra falar mal


Algumas pessoas no mundo crêem possuir um alvará para falar mal de outras determinadas pessoas. As habilitadas, no caso, comumente são as mães superprotetoras e namoradas que paparicam incondicionalmente seus bofes. Vou explicar: a dita cuja da mãe pode falar horrooooooooooores do filho encapetado, que decora todas aquelas porcarias do Backyardigans mas que não é alfabetizado nem sob tortura, que rola no chão fazendo pirraça e que ainda pega piolho na escola pra agravar seu estado de nervos... o.k., a mãe fala, mas sóóó a mãe. Ela é a única pessoa que pode falar do pentelho; se uma amiga da mãe comenta: “nossa, ele é agitado!”, esta reage de forma violenta, lançando um olhar que fuzila a amiga e evidencia uma grande negação sobre o quadro de sua prole. Em off, a mãe diz que desembesta a falar mal da cria pro bem do pimpolho, porque só quer o melhor para ele, pro futuro dele... e blá blá blá batata assada.
Outra figura capacitada pra falar mal (mas só ela) é a namorada, claro! Porque naquelas rodinhas de amigas sempre rola um desabafo. E quando você ta meio de ovo virado com o digníssimo, uma amiga escuta e consola. Um belo dia, quando o relacionamento está em paz (amém) a amiga te fala alguma coisa sobre seu bofe... mas alguma coisa que você mesma contou! E aí a negação cai foooooorte, porque só a namorada pode falar dele, e ninguém mais!
A negação, como vocês devem ter percebido, funciona como um mecanismo de defesa contra aquilo que, de certa forma, sabemos, mas preferimos ignorar. Ao criticarmos, não negamos mais a situação para nós mesmas, e a sensação é de “controle”; além disso, ela está sob o domínio do privado, é aquilo que só a família / os mais íntimos sabem . Quando percebemos que terceiros nos apontam coisas bem desagradáveis de pessoas que amamos, isso sai do controle, daquilo que outrora estava aparecendo somente aos nossos olhos e se torna fato, evidência, concreto e de domínio público. Caindo na real: algumas coisas são bem visíveis: e daí que seu filho faz mais estrago que um tornado? Que seu namorado tem tooodos aqueles defeitos?
Estar ao lado dessas pessoas e amá-las não condiz com ignorar verdades gritantes, mas estar ali, apesar delas.
Agora, só não experimente contar a alguém que a pessoa ronca!!!! Nesse caso, o alvará é só dela e a negação é absoluta!

10 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Adorei o post! Pior que é assim mesmo que funciona. Acho que quando a pessoal fala mal de alguém de quem ela tem o tal "alvará", na verdade ela tá querendo que vc a desminta e não que concorde com ela... Ela quer que vc amenize a sua dor dizendo que não é bem assim... rs

Beijocas

Igor André disse...

Concordo com a Dama de Cinzas. Também acho que sempre espera-se um ponto de mediação quando se fala mal de alguem que se é intimo. Da mesma forma, acredito também que em determinado grau, a dita "sensação de controle"se faz da necessidade de mostrar que tambem se está percebendo coisas que todos provavelmente estao percebendo (e falando mal mesmo que longe dos olhos e ouvidos.)

Aliás, Anna, senti falta dessa questao no post: as pessoas que falam mal "de longe", mas dizem "não é bem assim" quando estão perto. E também das que falam mal dos outros, mas não admitem quando falam dos delas.

Quem sabe numa 2º parte, já que abordar todas essas nuances iria alongar demais o post cujo assunto dá pano pra manga (até pra saias, pra envitar expulsoes em universidades ultraconservadoras rsrsrs)

Abraço!!

I.A. (ordemincaos.blogspot.com)

Barbie Girl disse...

O problema também é que falta amizade verdadeira, pq se me contam uma coisa, vamos ser francos, dizer mesmo o que achamos.
Não gosto de pessoas que vem me dizer algo, mas no fundo só querem escutar o que lhe condiz, o que lhe parece agradável!
Isso para mim é ser falsa!

Se a pessoa não quer ouvir opinião sincera, não venha contar ou perguntar nada!

Muito bom seu post!

beijos rosas!

Desabafando disse...

é bem verdade tudo que vc escreveu...é assim mesmo que todos nós agimos. Prontos a defender o que é nosso, prontos a negarmos nossos defeitos. Adorei o post, me fez refletir sobre coisas pessoais.

Sarah disse...

aceitar criticas e reconhecer defeitos é o segredo pra harmonia ne gente? bora maleabilizar a vida! rsrs
Beijao p vc Anna!

Kesy disse...

adorei!!

Hum, só eu tenho alvará pra falar mal da minha cachorra! Nem namorado pode... dizer que ela é barulhenta, chorona e grudenta é direito exclusivamente meu! rss

Beijos

Casal do Arrocha disse...

Viro leoa quando falam de quem amo!
Post showww!
Bjs...

Raquel El-Bachá disse...

Oi Anna. Esse "álvara" é bem típico de mãe, namorada(o) e irmãos. Alguns amigos fazem isso também. Só elas podem falar mal e ai de quem fale mal dos seus.
Beijos.

Diana disse...

Hahaha. É verdade.
Sempre tem aquela pessoa que só você pode falar mal. Meus amigos, por exemplo, meus e ponto. Só eu posso.
A raiva quando isso é com os outros é que você não sabe quando pode falar a verdade e quando não.
Beijos.

Patricia disse...

alvará a gente pode ter, mas tem que usar com moderação, o da minha irmã por exemplo... se eu quisesse ficar reclamando dela para todo mundo eu teria motivo, mas é feio né. acho que tudo tem seu tempo, às vezes é aceitar mais e reclamar menos..

beijos