quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O Ciclo do Medo

Medo e insegurança. Os dois temidos fantasmas do fim de um relacionamento. Quando o namoro termina de uma forma traumática é sempre motivo de desculpa para justificar a fuga de um futuro compromisso... Deixamos o medo tomar conta de nossas ações, passamos a medir palavras, a fazer joguinhos, evitamos nos apegar a alguém e quando vemos que o rolo está ficando sério... Fugimos! As lembranças do passado vêm a tona, todo o sofrimento da separação anterior, as lágrimas, as discussões, o coração partido... E um alarme interno dispara juntamente com vozes na cabeça, dizendo: "Ei, você quer passar por tudo aquilo de novo? Acabe com tudo enquanto é tempo!" Mesmo com o coração balançado pelo novo affair, preferimos deixar o sentimento de lado e desistir antes de tentar... Se pararmos pra pensar, essa situação pode se tornar traumática para o novo affair e este ficar com medo de se relacionar também... Estão vendo o padrão? É um ciclo vicioso...

Situação 1: Um casal feliz. O homem todo solícito, romântico, carinhoso e cavalheiro. A mulher é extrovertida, falante, tem muitos amigos (homens). O homem vai buscá-la no trabalho, na faculdade, leva no médico, no dentista, passa os domingos na casa dela, faz tudo o que ela quer. Num belo fim de semana, a mulher diz para o homem que está cansada e não quer sair de casa... O homem todo compreensivo diz que tudo bem e pede para ela descansar. Decide tomar uma breja com os amigos mais tarde e chegando no bar, encontra o objeto de sua afeição agarrada com o Carlinhos, o galinha mais famoso e comedor da cidade. Foi chifrado na cara dura e na frente dos amigos...

Situação 2: Uma mulher apaixonada. Escreve cartas para o amado, liga todo dia só para ouvir sua voz, manda torpedos pelo menos 5 vezes ao dia, apresenta o cara como namorado pra todo mundo, acha que ele é o melhor amante que ela já teve. Um homem sem fé em relacionamentos. Acha que a moça dá um caldo bom na cama, mas cansa de receber tantas ligações, sms e cartas. Quer sair pra tomar um porre e pegar a mulherada sem alguém pegando no pé. Não quer saber do título "namorado". Cansado da situação (afinal tudo isso não vale uma boa transa) ele decide mandar a menina pra escanteio.

Situação 3: Um conquistador nato. Gosta de elevar as mulheres à categoria de objetos. Bonito, tem um bom papo, sabe dizer o que elas querem ouvir. Nunca tinha experimentado a sensação de estar apaixonado... Até que ela aparece! Linda, séria, inalcançável... Suas cantadas não funcionam, ela não dá atenção à sua conversa, fica olhando pro vazio quando ele se declara. Ele persiste, precisa conquistar essa garota de qualquer jeito. Ela não quer nada com ele e demonstra isso da maneira mais fria possível. Ele, de coração pisoteado, vê que não vale a pena esse troço de amor e continua com suas aventuras de uso e desuso do mulherio.

Pois é... Perceberam? O homem da situação 1 se tornou o homem da situação 2, e a mulher da situação 2 se tornou a mulher da situação 3... E assim segue esse círculo, lotado de frustrações... As pessoas e as situações não são iguais, e mesmo sabendo disso, sempre achamos que vamos levar paulada de novo!!! Enquanto não quebrar um elo desse ciclo, o medo e a insegurança vão continuar pairando sobre qualquer relacionamento... A solução inicial? Um voto de confiança... Podemos nos surpreender!
PS: A imagem não poderia ser outra a não ser a foto do Chandler Bing (personagem de Friends)... É o exemplo mais famoso de cara que foge de relacionamentos... Dá pra ver pela cara dele na foto né???

*Texto originalmente postado no Prêt-à-porter

12 comentários:

Anna Oh! disse...

Tia Mariana Valente, eu tenho a leve impressão de que esse post caiu er...bem no meu momento atual. Pelo seguinte: essa semana veio a sensação de "gata escaldada", daí eu leio e releio seu post e penso q posso deixar esse medo pra lá um pouco. Um pouco, pq ignorar a existência dele já é outra coisa. So, acho q por esse vale arriscar minha pele mais uma vez rsrs
Bjões

Afrodite disse...

Vou dar meu pitaco...esse tipo de situação é realmente causado por traumas,mas o mais engraçado é que costumam acontecer numa certa faixa etária,já perceberam??
Entre os 18 e 38 anos(homens) e 16 e 28(mulheres).Depois de termos passado por todo tipo de situação,vem a experiência e maturidade(não me perguntem pq pro homem custa a chegar!Daria um outro post!!!).Aí,cansados de tantos jogos e querendo de fato alguém para dividir as alegrias e medos(a idade vem p/todos!),nesse instante conseguimos e encontramos uma relação estável e menos problemática(pq algumas o serão para todo o sempre!).
Será que algum dia pularemos essa fase?Não sei!Talvez sem ela a vida não tenha muita graça...
Bjo!

vida cotidiana disse...

Os relacionamentos são assim podem dar certo ou errado, acho que hoje em dia existe um medo de amar, de se expor ao outro, é mico, e a fuga acontece em massa, bjs

Bem Resolvida disse...

ahhh se tem uma coisa que eu não deixo é um sofrimento anterior me atrapalhar a vida. Como disse no blog ontem, relacionamentos servem pra nos ensinar algo, mas coisas boas. mesmo que tenhamos sofrido devemos sempre procurar um lado bom. quando vc consegue isso, vc não se prende à esse sofrimento do passado e se permite uma nova relação. Eu sou assim...me jogo de cara mesmo e se não der certo Fod*-**, e se conhecer outra pessoa e achar que vale a pena me jogo de cabeça de novo.
Vc sabe né...que passei uma barra com essa mania do SN de fugir por causa de traumas do passado...
Não adianta pensar que se vc sofreu em um outro relacionamento vc pode sofrer agora tbm, as pessoas são outras, a relação é outra, fica meio sem sentido se privar de algo com alguém que nada te fez por causa de outra pessoa do passado....


eu lembrava desse texto :P
beijos!!

Raquel El-Bachá disse...

Meus dois ex-namorados me disseram que não querem namorar por agora porque tem pouco tempo que terminaram um namoro. Vários meses é pouco tempo? Os dois estão na situação 2(o sapo está assim com a moça que namora um cara há 8 anos e não consegue terminar com ele e o amigo colorido se afastou um pouco de mim quando percebeu que eu gostaria deter algo mais sério). Bem...eu estou na situação 2 com o amigo colorido. Só depende dele romper esse ciclo. Já me considero aberta à outro relacionamento.
Beijos.

Rebeca Medeiros disse...

Eu sou a mulher da situação 2 que virou a mulher da situação 3...

Shit.

D.Ramírez disse...

:)

Marcella disse...

Nunca tinha parado para perceber que realmente é um circulo vicioso! Confesso que já fugi de alguns relacionamento com esse medo, mas depois vi que é necessário arriscar para ser feliz e deu certo! ;D

beijos!!

Ana Julia disse...

Ainda bem q estou numa fase boa p/ relacionamentos. Achei um homem ótimo!!!
Como fã de friends, adorei ver a foto de Chandler e Janice... uma comédia esses 2!
bjos!!!

Drunken Alina disse...

Já levei umas boas cacetadas, mas nunca perdi a fé.

Porque sempre tive meu irm~çao como exemplo de um homem bom e fiel, então eu pensava: "se meu irmão é assim, obviamente deve existir mais gente assim!"

Beijosss!!!!

Drêycka disse...

muito bom esse texto, viu???
parabensss

cassinha disse...

eu acho que é bom ter medo as vezes, assim a gente se contém um pouco e não se joga de cabeça em relacionamentos que poderão ser problemas no futuro...
ruim é quando a gente percebe logo de cara que vai dar problema, mas mesmo assim decide arriscar. e logicamente as conseqüências vêm depois...
acho que o medo é necessário, a gente tem que preservar nosso coração.