terça-feira, 29 de julho de 2008

Duas questões

Resolvi fazer um bem bolado de duas questões que achei interessantes de serem postadas aqui. Dá-lhe Beauvoir... e vocês sabem, de existencialismo, o inferno tá cheio!!!!
Vamos lá:

A primeira questão é: Por que os homens idolatram tanto suas mães?
Sim, porque se você achar um defeitinho na sua sogra e falar pro amado, ele vai ter vontade de arrancar sua cabeça com os dentes, acredite. Por mais que você esteja certa, que a depreciação da velha seja algo tolo, singelo, como “sua mãe é tão boba!”, ele vai te odiar. Digam se não é verdade? Acho que é por isso que os homens xingam tanto as mães uns dos outros, porque eles ficam muito, muito putos. Se a mãe morreu, nem me fale... vira s-a-n-t-a! As mães dos homens não cagam. Fato.
Essa coisa de endeusamento, idolatria e tudo mais se deve às questões naturais de dependência e suprir necessidades que a mãe tem para com o filho. Tanto que o homem busca na mulher algo de sua mãe (ou muito dela, ou o perfeito oposto). A Marie me explicou umas coisas legais ontem, lá pelas tantas da noite no msn... que isso acontece em vários animais, de o macho da espécie ser mais dependente e menos resistente (ela explica melhor isso ahahahah).
Em Freud, a teoria firma-se pelo que acontece no Complexo de Édipo: o menino enamora-se (inconscientemente) pela mãe e deseja eliminar o progenitor do mesmo sexo; o elo, a ligação, a admiração e o deslumbre frente à figura materna tem aí seu agravamento, que se diferencia do da menina.
Agora que Freud já explicou, uma coisa bem interessante é notar o quanto isso está ligado à necessidade de segurança e acolhimento, que só a mãe proporciona pro marmanjão. A capacidade de as pessoas perceberem seus pais como humanos tanto quanto qualquer um faz parte de um processo de independência e amadurecimento emocional. Legal, né?


A segunda questão é: Por que os homens detestam tanto suas sogras?
Salvo alguns casos, isso acontece sim senhores. A sogra é chamada de velha, bruxa, megera, os homens se juntam em bando pra falar de suas respectivas sogras, contar piadas nas quais o genro a enterra, empurra de um penhasco,ou enterra e crema pra ter certeza de que morreu. É isso aí, o cara quer mais é ver a sogra pelas costas! Mas, por que será???
Essa resposta Simone de Beauvoir dá de uma forma bem legal; o homem vê na sogra o futuro de sua esposa (ela vai ficar envelhecer, ter rugas, deixar de ser a mulher pela qual ele se apaixonou, vai mudar). Por não suportar essa idéia e o fato de que a amada envelhecerá, ele, através da negação, repudia a sogra. Ou seja, além de ouvir uma porrada de piadas cretinas, ainda serve de bode expiatório pra genro mal-resolvido. É mole?
Uma saída para essa situação consiste no seguinte: o homem deixa de atribuir à sua esposa as qualidades ligadas à beleza física quando esta envelhece, e a toma como boa esposa, companheira, mulher sábia, que sabe cuidar dos outros, acolher, etc., e passa a idolatrá-la como matrona, aquela coisa cristã de enxergar o lado puro das mulheres, sabe? Provavelmente, ela terá um filho que a verá como perfeita, e está feito o círculo vicioso!

11 comentários:

Lígia Scalise disse...

Menina, gostei das explicações. Mas no seu post você enxergou um lado da moeda. E o oposto? Mulheres muitas vezes têm problemas com a querida sogra. É a mãe dele, aquela que somos obrigadas a conviver e fazer cara de paisagem... Em casa somos em três irmãs e olha é um verdadeiro divã de birras entre noras e sogras. Vale bem um post! Exemplo: uma das minhas irmãs sofre horrores com a querida sogrinha dela. Desde que ela se casou (já namorava há 6 anos) a "querida" diz que perdeu o filho. Que ele foi tirado de casa e que jamais vai se acostumar com a falta dele.. Fala sério! Solução para aguentar o tranco? Trate a louca como louca!

Anna Oh! disse...

Hahahaha, gostei da sugestão pro post! Podexá q vou elaborar...

Lisella disse...

OLha, observando meu marido, eu tenho convicção de que ele não idealiza a mãe dele e nem odeia a minha. Será que me engana?

Anna Oh! disse...

Olha, tem raridades q nem Freud explica... ahahahhahahahah

Andreas Ribeiro disse...

Então... mulheres tem muito mais problemas com sogra... e alguns tem problemas com sogros tbm... portanto... o problema é essa classe "sogra (o)" de qq forma e com qq um...

Quanto a questão da mãe, vou de base nos conceitos freudianos da questão edípica e tals... e digo, o mesmo fenômeno deveria ocorrer (e muitas vezes ocorre) com as meninas e seus pais... quem nunca viu menina com "pai herói" que sabe tudp, faz tudo e o namorado ainda não chegou nesse "patamar"?
Mas você pode me dizer "filho com a mãe é mais frequente" e eu vou concordar com você, mas por que? me perguntaria Anninha Oh! doida pra culpar os "meninos-bundões" filinhos da mamãe, mas te respondo de uma forma totalmente racional.
Porque as mães são muito mais presentes para sua cria que os pais, as meninas tem dificultade de manter esse laço-edípico com o pai, porque socialmente e culturalmente os pais são menos próximos aos filhos... claro que existem os muito presentes e os que são mais presentes que a mãe... assim como há os casos das meninas que estão vinculadas ao pai como os filhos às mães... mas como a presença da figura materna é menos frequente que a materna... fica parecendo que homem "super protege mãe" e a mulher ta livre disso... e não é assim ;)

e claro que isso são explos macros, está cheio de gurias que super protegem mães, meninos com os pais e etc...

mas duma forma geral, é isso que eu penso =)

Anna Oh! disse...

Huuuum, não tiro sua razão, Andreas... vc me fez refletir sobre minhas trepudiadas em cima do sexo oposto (hahahahahahahhha); pode ser isso msm... q os pais, pelas ocupações sociais e pelo papel distinto não adquiram o mesmo status de adoração das mães... pode ser.
Daí sobre os pais insuperáveis é assunto pra outro post. Acho q o problema com sogros tem essa raiz: essa coisa de pai e mãe insuperáveis, imagem que eles e os filhos adotam às vezes.

Renata disse...

Anna, posso afirmar que realmente tem home que é doente pela mãe. Sim doente, pois acho que isso ´´e sim doença. O cara não consegue imaginar que alguém possa ter alguma qualidade que sua mãe não tenha. É um inferno. Tudo que ela fala é o certo. Dai fica dificil. Meu casamento foi pro saco por causa desta relação que só fez minar o nosso amor. Tudo que eu fazia não prestava. Eu sou do time que odeia sogra!!!!! A única coisa boa do divórcio é não ter mais que conviver com ela. rsrsrs.

Roger, o Louco disse...

CARACAS. o que a Ligia tá fazendo aqui? Oi, Liginha!
Bem, voltando ao post... me nego a comentar. é muito feminismo pro meu gosto! heehehehehehehhehe
Anyway.. mandou muito bem Déia Tetéia!
Beijos!

LA_MALIGNA disse...

Bem interessante essa teoria da sogra... Eu sou uma pessoa sem sogra, hehehe. Ela morreu qdo meu namorado ainda era criança. Talvez por isso ele não fale tanto sobre ela...

Bjos!

http://lamaligna.blogspot.com

*Dulce Herrera* disse...

Tem muito de mitologia nesse post Anna, msm que indiretamente...
Como o mito da roda do ano, onde o filho da Deusa se torna adulto, ao passo que o Deus-pai vai enfraquecendo e morrendo, e o Deus-filho toma seu lugar e vira o conjuge da Deusa.

E tb sobre a Deusa-Triplice, a Virgem, a Mãe e a Anciã...
Qndo vc fala sobre essa visão que os homens tem sobre suas mulheres qndo elas são jovens (a mulher pela qual ele se apaixonou, ou seja, a Virgem). Na visão da santa e protetora, imaculada (ou seja, a Mãe). E na visão da matrona, sábia e conselheira (ou seja, a Anciã).

Vc pensou nessa relação enquanto escrevia??
Bjuus!!

Gabriela Cavalcanti disse...

kkkkkkkkkk AMEI esse post! É EAXATAMENTE isso! Homem em geral, "paga muito pau" pra mãe! Meu noivo é judeu, AMA a mãe - que é uma chata! Fazer o que??? Tenho que fingir que acho ela o máximo, ne??? (rsrs) Ele adora!