quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Maratona "Deitando no Divã" 17

Baseados nas maratonas televisivas nas quais você passa 4 horas assistindo o mesmo desenho ou seriado (para a felicidade de uns, infelicidade de outros, e pela falta de criatividade da emissora), nosso honrado blog resolveu lançar uma maratona do Deitando no Divã!Recebemos muitos casos nos últimos tempos e, para que mocinhas não arranquem os próprios cabelos, não roam unhas nem decapitem namorados, ex, peguetes e afins, está aberta a temporada de casos e mais casos!

(Por Anna O., Marie Curie e Andreas Ribeiro)
Caso 31: "Oii.. sou a Carol*
Não gostaria de falar minha idade pois podem pensar que eu não deveria nem enviar esse e-mail.
Bom, Tem uma pessoal na qual gosto muitooooo mesmooo(chamada Pafúncio*)..
Ele não da a minima pra mim, mais ele tem ciumes se eu falo com outros e principalmente com os amigos dele, tem ciumes quando não falo com ele, ele entra no meu orkut todo dia, tc comigo no msn sempre que pode, deixa comentarios nas minhas fotos, me elogia, da muitas indiretas, e até mesmo ja me beijou muitas vezes(maximo no rosto)..!
Gostaria de saber qual é a dele? Oque devo fazer?
Pois, Gosto muito dele, + ele so da indiretas e digamos q depois ele larga de mão..!
Eu gostaria de um conselho pois não sei + oq façoo
Se eu continuo corrend atras dele ou desisto de vez..!
Espero q me respondam..!
Bjosss Grandes..!"
O.k., Carol, quanto mais novinha, melhor já ter em mente que às vezes os caras emitem sinais contraditórios, porque é conveniente ter garotas alimentando esperança de ter algum enrosco com eles. Isso infla o ego, rende fama de conquistador etc, etc etc... como sua idade parece ser um porém, o cara também pode estar receoso em dar um passo a mais nessa amizade colorida. Ou é indeciso, porque todo ser humano tem direito de hesitar... nem sempre ele é um fdp narcisista. Ligue seu radar e tente perceber melhor o cara, enquanto leva a situação por mais um tempinho.... a hora de desistir ou avançar vai depender do seu feeling.
Eu acho que ele é um teaser. É conveniente ter alguém do lado dele, pra inflar o ego, pra ter controle... ele deve ser daquele que perde pra daí sentir que sentia algo por você. Bah, besteira! Minha dica? Afaste-se completamente dele. Quando ele vier pedindo satisfações, seja direta: pergunte qual é a intenção dele com você. Se é somente amizade, peça pra ele se controlar em relação ao sentimento de posse com você. Se for algo mais, decida-se de uma vez! O que está matando nessa história é a indefinição do que vocês são, não a provocação em si. Beijos e boa sorte!
Nuossa, a Marie querendo acabar com o sonho amoroso dos jovens. Pelo visto vocês são novos, se ele for tão novo quanto você, ele também não sabe o que fazer, tenta demonstrar pra ver se você faz algo. MInha dica, se tiver vontade de fazer algo, faça! Se não tiver ou não tiver coragem... espera uns anos que melhora =)

Caso 32
: "Tenho 17 anos, e conheci um cara (perfeito) de 21 há 5 meses.
Fiquei com ele na minha formatura, e depois ele pediu meu celular e me chamou para sair no dia seguinte.
Saimos, e foi muuuito perfeito!
Só que há um pequeno problema, ele é da minha cidade , só que mora na capital do meu estado. :(
Aí, depois da nossa saída, nos encontramos 2 semanas depois e tudo foi mais perfeito ainda.
Dentro desses 5 meses que estamos juntos, vejo ele sempre de 15 em 15 dias.
O problema enooooooooorme é que eu sou muito romântica, e tô apaixonada com ele. Ele me disse que não quer namorar , porque não está com cabeça pra isso, e essa situação me deixa muito triste. eu sofro muito com isso ;\
Tem dias em que ele tá todo carinhoso comigo no msn , por msg e no telefone, maas tem dias em que me trata como amiga dele.
não sei mais o que eu faço pois , eu tô super apaixonada e ele é de lua.
Me ajudeem por favoor :)
Beijo :* "

Não é que ele é de lua, ele não quer se envolver, flor. O racado foi dado: ele disse que não quer namorar. Quando entramos numa "relação" em que, desde o início uma das partes disse claramente que não queria nada sério, temos que ser cautelosas. Não é errado se apaixonar, mas o melhor seria ter os pés no chão e evitar esse tipo de coisa. justamente pra não alimentar falsas esperanças nem se frustrar.
Eu também acho que ele deixou claro. Os homens conseguem ser mais práticos em determinadas situações: se eles acham que distância é um problema, eles não se relacionam, pronto. Assim, o "problema" está com você. Não é errado se apaixonar, mas concorda que se ela não existisse, você manteria muito bem o relacionamento? O que você está disposta a aguentar? Se você não aguenta a situação, não espere que tudo irá ficar diferente, procure alguém perto de você. Se você acha que vale a pena ficar com ele por que é perfeito, terá que aguentar a situação. Depende muito mais de como você quer viver do que com o relacionamento em si!
Aproveite o que pode com ele, mas não fique na dependência, você não vai mudar o que ele pensa tentando fazer algo, é legal sair com ele? saia! Mas não se esqueça de olhar pros lados!

Caso 33: "Olá! Primeiramente, gostaria de falar que o trabalho de vocês é excelente, e eu, como um bom futuro psicólogo, adoro-o e sou fã dele.
Bem, o caso é o seguinte: eu sou homossexual, tenho 17 anos e namoro um rapaz de também 17 anos. Minha família aceita perfeitamente minha homossexualidade e se demonstra muito tranquila em relação ao fato de eu namorar; eu só não contei a eles ainda por que eu estou em ano de vestibular e a pressão que meus pais colocariam em mim por conta de um namoro em "época de apenas estudos" seria muito maior do que, mas estou prestes a contar. O problema é a família do meu namorado, pois ela é evangélica, tem uma GRANDE ignorância em relação à homossexualidade e reluta em dar uma chance de alguém mostrá-los qualquer outro ponto de vista sobre o assunto. Ou seja, meu namorado está no armário. Como vocês já devem estar imaginando, o nosso namoro é muito propenso a instabilidades e bem juvenil, mas nós nos gostamos muito e realmente nos amamos, estando um pronto para ajudar e se sacrificar pelo outro. Mas esse negócio de se sacrificar tem estado bem difícil pra mim.
Nosso namoro começou há pouco mais de quatro meses. No começo, foi muito bom! Aquela coisa toda de começo de namoro. Mas, pouco depois de dois meses, a mãe dele conseguiu descobrir! Ela é extremamente desconfiada, juntou alguns fatos e pistas, e colocou ele contra a parede. Ele, acuado, se viu obrigado a contar. Ela, então, xingou ele, disse que ele era um lixo, falou que preferia ele morto e disse que ele teria que "consertar". Ele teve que ligar pra mim, na frente dela, falando que estava terminando tudo (mas foi planejado, por que ele já tinha me ligado antes e contado a situação e o que deveria fazer). Nós, desde então, temos tomado muito mais cuidado para manter em segredo a relação, mas isso tem sido HORRÍVEL! Eu me assumi para a minha família aos 13 anos, três dias depois de eu ter me assumido pra mim mesmo. Ou seja, eu não consigo esconder muita coisa das pessoas, quando relacionada à minha homosseuxalidade. E é exatamente isso que está sendo exigido de mim! Além do mais, parece que aquela bruxa (a mãe dele) tem espiões espalhados pela cidade, já que, aonde quer que nós vamos, sempre há alguém conhecido daquela mulher. E sair com ele também não é tão frenquente assim, pois ela proibiu-o expressamente de me ver ou ver qualquer um dos nossos amigos, que sabiam e coniviam com nosso namoro. Nós conseguimos nos ver na escola e olhe lá, por que também há pessoas da igreja que ele frenquenta com a mãe e o resto da família.
Eu entendo o lado dele, que chega a ser pior que o meu, mas continuo sofrendo e inseguro sobre quando essa situação poderá ser revertida, pois, se ele resolver enfrentar a mãe, ela vai expulsá-lo de casa e "orar todos os dias para ele morrer, por que é preferível ele morto a um filho 'nessa vida'" (palavras dele deduzindo o pensamento da mãe). Ele disse que, à medida que for criando independência, vão ficar muito mais fáceis as coisas, e, qd ele completar 18 anos, terá acesso direto à pensão do pai (que é separado da mãe) e poderá se resolver muito melhor sem a mãe. O negócio é que eu, desculpem a falta de educação, FICO PUTO! Se eu não sou controlado assim nem pelos meus pais, porque essa megera nos controla então?! (A propósito, ela até disse uma vez ao meu namorado que, se continuasse o namoro, ia contar tudo para os MEUS pais... hum, até que não seria nada mal! Eles acabariam com a raça daquela vaca! Se bobear, dá barraco do estilo Ratinho! aushauhsuahsuha)
Enfim, gostaria muito de ouvir a opinião de vocês, pois estou bastante aflito. Eu, com certeza, vou fazer o máximo pelo namoro e me separar dele está totalmente fora dos meus planos. Só queria que isso passasse logo, pois eu quero muito viver feliz e normalmente com meu namorado.
Obrigado, pessoal! Beijos e abraços!"

No momento parece que não dá pra fazer muita coisa. Não dá pra abrir a cabeça da sua sogra e arejar um pouco as idéias empoeiradas dela; não dá pra fugir com o namorado ou coisa que o valha... o que dá pra fazer é esperar. Se vocês tem 17 e ele tem como conquistar alguma independência financeira aos 18, esteja ao lado dele, tente esperar da forma menos dolorosa possível. É revoltante sofrer preconceito assim? É. É descabido, concordo contigo, guri! Mas po, vcs parecem ter uma grande história juntos... tente esperar ao lado dele (ainda que tenha que ser escondido por mais um tempo). No momento parece que você é o suporte dele, mas uma relação não é também alternar essa posição de suporte? Quando precisar disso, conte com ele! Não é porque a situação do seu bofe é complicada que você não possa compartilhar suas dificuldades com ele também. Força na peruca, amigo!
Bem, você já disse que largá-lo está fora de questão. E ele também me parece irredutível. A vontade de dar o troco, de se rebelar dessas amarras que alguém que nem sequer paga as suas contas acha que pode te prender. E não adianta enteder o lado dele, você vai fucar puto sim! Afinal, é um agrande injustiça sendo feita com vocês! Mas acho que é por isso mesmo que a única chance é a de 1: ele é expulso de casa e vai morar com você e seus pais, 2: ele recebe a pensão do pai e começa a viver sozinho, 3: ele conversa com o pai e vê sobre a possibilidade de morar com ele, de receber a pensão a partir de agora. De qualquer forma, eu acho que o caso é esperar. Preconceito é uma merda, e eu acho que você está bem esclarecido quanto a barra que o seu namorado está aguentando. Arranje uma forma de desabafar, divida isso com seus pais ou com outras pessoas que possam te dar apoio, pois aguentar isso tudo sozinho só gera ressentimento, e ficar despejando isso no seu namorado só desgasta a relação. Já pensou em contar para os seus pais? Dependendo de como eles forem, podem te dar um apoio super legal nessa fase complicada... Boa sorte!
Existem algumas questões sociais que não fazem sentido, manter o preconceito por opções sexuais é uma delas!! não vou entrar aqui no que diz respeito às igrejas e religiões, mas é triste ver alguém fazer uma injustiça em nome de uma entidade superior. Mas o fato é, infelizmente esses preconceitos sempre irão existir e você terá que lidar com isso e pelo visto você já lida muito bem com isso, portanto a idéia é essa, segurar a barra por enquanto, quando puder falar pros seus pais será bom também! E também acho, vocês estão entrando na fase de ter responsabilidades e independência, então realmente a tendência é que melhore, quem sabe um dia essa cabeçuda não caia na real e até ajude vocês também!!!

PS. Pra quem quiser participar dessa coluna e contribuir para o Divã, e nós do Divã tentarmos ajudar você também, envie seu caso/história/dúvida/angústia para nós no e-mail divarosachoque@gmail.com e nós analisaremos e postaremos assim que possível!! sempre sem identificação e sem expor alguém, mais detalhes veja mais sobre nossa coluna DEITANDO NO DIVÃ.

4 comentários:

Igor André disse...

O primeiro Deitando no Divã de 2010 e como não podia deixar de ser estou aqui expondo minha nada humilde(?!) opinião rs

Então, como diz o Bial, vamos aos trabalhos

Caso 31: eu tenho uma prima de 13 anos e não pude deixar de pensar que poderia ser ela quem estava escrevendo o e-email...confesso que bateu certo bloqueio...

Sobre o caso em si, eu concordo bastante com a Anna quando instrui a cerca dos cuidados que se deve tomar desde novas contra certas peculiaridades da vida social.

Como a duvida carece de detalhes, não conseguiriamos sair das conjecturas. Por isso e mais ainda, nesse caso, acho que o conselho da Anna é mais válido. Esteja atenta aos sinais do cara e analise mais profundamente o que voce mesma sente por ele.

Caso 32 - Esse realmente não tem muito o que falar. Quando uma das partes deixa claro sua real intenção em um relacionamento a outra realmente tem que ser cautelosa. Sinceramente acho que a moça deve pular fora o quanto antes para que o ´sofrimento´não se torne sofrimento. Segurar a onda da distancia e da instabilidade não é algo que você irá conseguir sem se machucar.

Caso 33 - Realmente no momento não existe muita coisa a fazer do que segurar firme a barra. Não vou entrar no merito da questão da Igreja, pq defitivamente ache que não é ela que torna as pessoas ignorantes (mas colabora em muito para mante-las assim) e todo mundo sabe disso.

No entanto, descordo quando relacionam independencia financeira à pensão de pais separados. Vocês não são mais crianças. Se querem independencia, tem que lutar por ela, Tem que sair a campo, arrumar um emrego, começar por baixo e ir crescendo com o proprio esforço, umas vez que a obrigação dos pais já foi feita. A pessoa que escolhe de bom grado se manter sob jurisdição dos pais estão aceitando de antemão suas regras. Obvio que um dialogo aberto pode sim resolver uma situação de impasse, mas pelo visto nao é o caso do seu namorado. Portanto, meter os pés na estrada e lutar pela propria prosperidade é o caminho mais digno.

E sem essa de "não pediu pra nascer agora a obrigação é deles"

Abraço e sucesso a todos!!!

Igor André
(ordemincaos.blogspot.com)

¤*Daia*¤ disse...

Poxa vida, e eu achando que tinha problemas. Já acompanhei de perto uma situação muito parecida com a do caso 33. E o meu amigo fazia o papel de quem estava no armário. Aliás, ele ainda está no armário, e o namoro não resistiu pq o carinha ficou botando pressão pra ele se assumir, falar pros pais sobre sua opção sexual... deve ser barra!

BJO

Dani Antunes disse...

1º caso: Pafúncio é viadinho da pior espécie.

2º caso: Ele come outras e te encontra quando o convém.

3º caso: Que mulher evangélica é essa que chama o filho de lixo só porque ele é homossexual?! Nem sou gay não, mas acho esse um pensamento tão retrógrado... Demais.

Marie Curie disse...

Olha o quarto elemento aí, huahuahau!

Então, eu acho que não associamos tão veementemente o ser independente com a pensão dos pais. Acontece que trabalho não cai do céu, ainda mais um que permita morar sozinho. Se calhar de ter o apoio dos pais, tanto melhor nesse começo. Ainda mais que eles estão prestando vestibular, estão fazendo um investimento que custa muitas vezes a saída de casa tardia por não poder trabalhar. Eu sei que tem muita gente que trabalha e faz faculdade mas é difícil e é uma questão complicada, envolve escolhas que influenciarão o futuro, né? Bem, é o que eu acho. Começemos com as alternativas mais acessíveis, para ver o que dá depois! Bjus!