sexta-feira, 17 de abril de 2009

A Instituição do Matrimônio

Muito se diz da falência da instituição matrimônio nos tempos modernos, fim dos núcleos familiares e outras questões que tendem a afirmar que esta instituição esta na bancarrota. Mas como tudo tem um porém, venho aqui questionar essa idéia, e ir por um outro ponto de vista: não da falência do matrimônio, mas sim das mudanças dele em relação ao que nos acostumamos nos últimos 2 séculos, principalmente.

Os casamentos surgiram como uma forma de união social, eles visavam mais os interesses das famílias envolvidas e a continuidade das mesmas, do que interesses do casal em si. Os anos foram passando e isso foi mudando, sendo cada vez mais pelos gostos pessoais do que pelo social. Porém, o casamento era visto como uma necessidade... que mulher iria querer encarar ser uma tia solteirona? Que homem queria amargurar, não ter uma esposa? Ele era malvisto e malquisto. Então, apesar de ser maior a escolha, o casamento ainda era quase uma “obrigação social” e o rompimento dele ainda era complicado e pouco comum.

Veio a liberação sexual, os movimentos feministas, a mulher conquistando espaço, quebrou-se o vínculo de dependência, homem já poderia ser bem-visto mesmo se solteiro e com isso começaram os excessivos divórcios e os matrimônios foram se extinguindo aos poucos. Chegamos ao momento que todos dizem: A instituição do matrimônio faliu!

Mas pera lá, não é isso que eu vejo hoje em dia, e foi essa percepção que me fez parar pra pensar nesse post. Eu vejo as pessoas jovens se casando, sim! Vejo que a maioria inclusive foi, é ou será casada hehehe. Muitos, se não estão juntos, estão prestes a se unir com o cônjuge e então vem a pergunta, onde está o casamento morto?

A diferença é que as uniões não se dão sempre como antigamente, ou seja, não precisa de todo aquele ritual católico-religioso, a noiva toda de branco e 200 pessoas (sendo que 75 eles nem sabem direito quem são, e outras 100 não vêem mais que 5 vezes por década) assistindo a união formal de um casal, de papel passado no cartório, contrato redigido e consolidado.
Hoje em dia, cada vez mais os casamentos não são feitos com cerimônias religiosas, e muitos também não são feitos em cartórios, são mais “ajuntamentos”. As pessoas decidem começar a morar juntas, sem que se prendam às formalidades para tal.

Com isso, os vínculos dos casamentos estão cada vez mais tênues, por isso a permanência deles é cada vez menor e mais complicada; porém, eles continuam acontecendo em grande escala e o matrimônio continua existindo... e eu acho que agora, eles tendem a ser mais fortes do que nunca.

Como eu disse, os motivos para os casamentos anteriormente, são cada vez menores, não que ainda não existam casamentos por pressão, por interesses escusos e de terceiros, porém na sua maioria atualmente, o casamento se dá e continua a existir pelo amor existente pro casal (pausa pro momento *ownnnnn ti fofo*). Pois é, creio que agora que os casamentos começam a se dar de fato, pela vontade mútua de união e de convívio, mais do que continuar viva, a instituição do matrimônio pode ter sua verdadeira força surgindo.

16 comentários:

meuladocontido disse...

Parabéns pelo post, me fez penar bastante.
Casar ou não, é uma opção hoje em dia. Verdade. Como você mesmo disse antigamente era mais imposição.
Diante disso só posso concordar com seu ponto de vista. Se de livre e espontânea vontade, ainda tem gente se casando (e espero que chegue minha vez) hehehe. É porque não é mesmo uma instituição falida.
Mas infelizmente, ou felizmente não sei. Se casa e descasa com muita frequencia, e mais que uma vez.
Casamento nem sempre é levado tão a sério.

Maria Inácia Bellico disse...

Eu concordo contigo. Só que eu não me vejo casada hehehe. Casamento é lindo, e temos que casar sabendo que não é um conto de fadas e que enfretaremos também situações chatas, constrangedoras, mas só assim reconheceremos a felicidade. E amar... Quem não quer se sentir amada e compartilhar?
Acho que todos não é mesmo?

Bjim*

GueGue disse...

é tão bom quando juntamos as escovas.. não estou casada, mas usamos a mesma escova às vezes!

Beijão!

Fernanda disse...

Adorei o post. eu acredito, particularmente, que casamos no primeiro dia, no primeiro encontro, no primeiro beijo, no primeiro abraço (pausa para o ti fofo 2). Mas é a verdade. são ações contínuas que nos fazem casar... seja com nossos amoridos, com nossos amigos. as relações são um casamento e a gente se casa a cada tempo junto. O ideal é que só se fortaleça. Sendo assim, eu amo me casar!!!!

E é claro: ainda sonho com o casamento master, oficial e único! rssss

beijos

Yádini Winter disse...

Gostei da opinião, estou processando- a ainda, talvez tu tenha razão. (:

Cansada de ser boazinha disse...

Pois é a fórmula do casamento mudou, ainda bem!!! Mas as pessoas parecem perdidas com tanta liberdade... não parece?
Bjos!

Mary_Flor disse...

Com certeza o casamento sofreu suas alterações ao longo do tempo, mas creio que não é não, uma instituição falida. Hoje as pessoas são mais decididas, sabem oque querem e não tem influências de pais, mães, tias....
Se quer casar, é porque ainda há alguém que acredita no amor duradouro e em um casamento feliz!!!
E.. que seja eterno, enquanto dure!^^

Beijão. Bom findi!

¤*Daiazinha*¤ disse...

Ah eu concordo! Tenho amigas com menos de 25 anos e que vão casar, ou que, apesar de não serem casadas ainda, comportam-se como tal. Os relacionamentos de hoje em dia costumam ser mais saudáveis (fora os casos absurdos que vemos pela televisão).

Boto fé em casais mais felizes, se casando por amor e por vontade própria!

Bjos

Malaguetta disse...

acho que como a sociedade se moderniza o casamento tbm.
ngm mais casa na igreja,as pessoas se juntam. E qual o problema disso?
nao muda nada e facilita as coisas.

Jhennifer Cavassola disse...

Sim, muitos casamentos têm ocorrido hoje. E como vc disse, são casamentos de duas pessoas que se gostam de verdade. Eu mesma casei jovem, tenho apenas 20 anos meu esposo 25. Somos casados há mais de 1 ano. Nosso casamento não teve festão e nem foi na igreja. Nos unimos diante de Deus, nós dois e no civil. Somos felizes e a gente se dar muito bem.
O que está dificil hoje é manter um casamento, com tanta coisa fora que se atribui, que está amostra. Mas se duas pessoas se amam de verdade e estão dispostos a lutar contra isso, não tem nada que interrompa.

Agora assim, percebo que os homens estão procurando mais casamentos do que as mulheres. As mulheres hoje não pensam mais em casar como antigamente, elas preferem a independencia, a própria familia coloca isso na cabeça delas desde da adolescencia. E ao inves de educar para o jovem estudar e depois casar para ter uma independencia financeira do casal, os pais hoje educam para as filhas serem independentes, terem a propria vida sem precisar casar. É complicado!! Acaba que a jovem se envolve com uma carinha da facul e engravida na adolescencia. É o que tem acontecido muito!

Um lindo domigo :)

Luana Pinheiro disse...

Concordo plenamente!
Acho muito triste que as pessoas pensem que o casamento não existe mais. O amor existe e sempre vai existir, então não temos motivos pra acreditar que um casamento não vai dar certo.
Meninas, passei um tempo afastada mas voltei! E como sempre, vou continuar acompanho o Divã!
beijos!

Brunas F. disse...

É isso ai!!

E que os nossos sejam nossos!!

Raquel El-Bachá disse...

Oi Andreas. Concordo com vc. O casamento não é uma instituição falida; apenas mudou de cara. Isso é bom, pois a maioria dos casamentos ocorre pelo amor e decorre de um maior planejamento do individuo. Antigamente as pessoas se casavam muito cedo por pressão familiar ou por impulso e casamento assim, definitivamente, não dá certo.
Beijos.

Mariana Valente disse...

Ai Andy, ultimamente eu estou muito against marriage, vocÊ sabe porquê... Mas tenho noção de que os motivos pra casar de antigamente era bem diferentes dos de hoje em dia...
Sera que voltarei a acreditar na instituição do matrimônio? Não sei, aí só o tempo dirá... *musiquinha de suspense* ahuahuhauhauhau adorei o post xux beijos!

DIVÃ DA MULHER disse...

Eu concordo.
Sou noca,casada(moro junto),mas me sinto casada de corpo,alma coração e contas p pagar..rs
Sou muito feliz e conheço "trocentas" pessoas casadas tb pelo amor,pela vontade de compartilhar a vida não necessariamente passando pelo sim na frente do padre...
E acho q casamento vai cada vez mais "ficar na moda",já que os conceitos de amor estão diferentes,e tudo o que é meio retrô chama atenção,é cult..rs

minicontosperversos disse...

Falidaça e quase imcompatível com a realidade que vivemos hoje.

Fidelidade, só na base da consciência forçada.

Nessa hora botamos mais fé nos casamentos abertos (não, não conseguiríamos aderir a um desses)