segunda-feira, 2 de março de 2009

Amor de Folia

Em ritmo de fim de Carnaval (eu sei, estou um pouco atrasado já...) e de volta à ativa, vamos falar um pouco de um tema já bem famoso, os romances de carnaval.

Claro que isso é muito relativo à região em que se está “pulando carnaval” e, portanto, têm vários nuances...

Baladas de Carnaval: Claro que em época de carnaval, as baladas bombam pelo uns 4 dias, open bares e festas à fantasia comandam a festa. E se você encontrar aquele gato (a), ou sentir um frisson por alguém dali logo no primeiro dia de carnaval, se ficar com a companhia a noite inteira (e não fazer uma coleção de pegadas), pode ser que não role aquele famoso telefonema do dia seguinte, porém vocês podem se encontrar no dia seguinte, na mesma balada, quem sabe deixar meio combinado de irem numa outra... Pode ser que role de ficar 2 dias com a mesma pessoa, por um milagre, talvez o carnaval inteiro... Mas e na quarta de cinzas? Vai ficar difícil sobrar alguma esperança pós-carnaval.

Praia: É muito comum aqui em São Paulo, o povo descer em massa para o litoral nesse feriado de Carnaval. O pessoal dessas cidades que de bobos não tem nada, promovem festas, músicas ao vivo à beira-mar, shows na areia e outras coisas. É muito comum então 2 pessoas da capital se encontrarem lá num desses eventos, e começar a pegação, as vezes é do mesmo condomínio, freqüenta a mesma praia ou algo que o valha e fica fácil ficarem mais vezes durante o carnaval, quem sabe o feriado todo não se encontrem. Acabou a farra, hora de voltar à Capital, e surge aquela pergunta clássica daqui, “Amor de carnaval vai subir a serra?”. Mas isso dificilmente acontece, se lá eles eram “vizinhos” em São Paulo eles devem ter pelo menos 1h de distância, fora que voltou à rotina, aos amigos daqui, baladas preferidas e a amor nada, nada e morre na praia...

Fogo no Pelô: Pra finalizar, vamos falar do Carnaval Baiano, talvez o mais popular brasileiro. Lá o trio elétrico atravessa as ruas e embaixo as bocas e mãos se atravessam mais ainda... pelo movimento forte e contínuo, talvez seja o lugar mais difícil de conseguir uma “sequência” com alguém, ou seja, a tendência de pegação geral aumenta consideravelmente, porém, se você realmente gostar de alguém da pra curtir bastante juntos, se você ficar com uma pessoa só o dia todo, é o que eles chamam de “casamento” (se casar é 1 dia.... imagina 1 mês, bodas de diamante?) enfim, gostou de alguém, pode “casar” e curtir com a pessoa o dia, se marcar de encontrar ela nos próximos dias, vai ter uma vantagem no carnaval da Bahia, ele dura bem mais que 4 dias!!!! Mas quando acabar a farra, cada um de volta ao seu canto, dificilmente não acontece um “divórcio” hehe.

Pra finalizar, espero que todos tenham tido um excelente carnaval e curtido da maneira que lhes conveio mais.

Sempre lembrando, que em São Paulo, no Rio ou na Bahia, diversão e pegação são sempre com camisinha.

Bjs Andreas

PS. E se alguém teve uma experiência mais interessante nesse carnaval ou em outros carnavais ou apenas se inspiram com a data, não deixem de escrever um conto para nós e concorrer ao “Kit do Amor”

5 comentários:

pintando pensamentos disse...

rere, meu carnaval bombou maid do que o Iraque em tempos de querra :DDD

Mabia Barros disse...

Carnaval na Bahia n é tão temerário assim... claro que, dos que vc descreveu, é o mais "liberal", mas tem lá as suas possibilidades de encontros todos os dias. Podem ser pessoas que saem no mesmo trio todos os dias ou que estejam no mesmo camarote... além dos trios independentes de rock, os amigos de amigos q vem ficar na mesma casa...

Acho mesmo difícil q um amor de carnaval leve os outros dias do ano a sério, mas eles tem essa possibilidade sim... ;)

Carol disse...

Oiiie Andreas, olha tenho pouca esperiencia nessa area ROMENCES DE CARNAVAL, mas vai saber o q pode acontecer, conheço bastante gente que se apaixonou e namororu e outros que só tiveram akelas pegações!
^^
adoro ki beijo

Glayce Santos disse...

Pois é, sempre ouvi que amor de carnaval ficava no carnaval... Nunca passei por isso, porém... Mas agora estou passado e é difiiicil. Carnaval é carnaval, loucuras acontecem e depois que passa já n sabemos mais como lidar com o carinha, como tentar levar adiante... snif

beijinhos

Raquel El-Bachá disse...

Oi Andreas. Olha que conheço casos de gente que se conheceu no bloco no carnaval daqui da Bahia e se casou de verdade tempos depois.
Já ouviu falar no bloco "Filhos de Gandhi"? Só saem homens com uma túnica branca e com colares de contas azuis e brancas e fazem o maior sucesso entre as mulheres. Muitos trocam colares por beijos. Vários amigos sairam. Alguns, inclusive comprometidos ou quase, dizem que não é para pegar mulher,mas eu não acredito.
Beijos.