sexta-feira, 14 de novembro de 2008

QI nos relacionamentos (Quem Impõe)

Em algumas conversas familiares, me deparei com esse tema “Nível de Inteligência” do casal, analisando intelectualmente cada um e traçando comparativos. É bem estranho “medir” inteligência e ainda mais compará-la. Porém aqui não vou tentar criar um conceito de inteligência, cada um usa um parâmetro porque de certa forma todos tem uma idéia das pessoas que ela considera inteligentes ou não.
Então chegamos ao tema do post. Qual é a importância de uma “equivalência” no grau de inteligência de um casal?
A princípio eu respondi “nenhuma”, mas depois eu mesmo acabei desconstruindo um pouco isso, como relatarei; é que a priori não há mal nenhum nisso, mas podem trazer algumas conseqüências negativas pro relacionamento.
Eu digo que para um relacionamento bom e saudável, tem que haver sintonia entre o casal e que essa história de “os opostos se atraem” é balela pra mim; portanto, a tendência que 2 pessoas nesse mesmo patamar, tenham maior sintonia, consigam uma melhor comunicação entre si, “falem a mesma língua” e nesse sentido é um ponto positivo essa “equidade”.
E quais os malefícios de se sentir mais ou menos inteligente que seu cônjuge? Entra então o que eu denominei “QI” ou seja, Quem Impõe as suas vontades no relacionamento! Se um dos lados é (ou se acha) mais inteligente que o outro, vai acabar valorizando mais suas idéias e tentar fazer valer as suas vontades. Em contrapartida, se o outro lado é (ou se acha) menos inteligente, não vai deixar aflorar suas idéias e acabar se subjugando e se “escondendo” atrás de seu parceiro. Eis então que está criada uma problemática em torno de algo que eu havia dito antes que a princípio não teria problema algum. Quando se estabelece esse tipo de valores e um se sente “superior” e o outro “inferior”, começam a aflorar pequenos atritos em relação a isso, um se sente oprimido o outro pode se sentir muito responsável, ou então, se sentir mal por “menosprezar” o outro e esse QI acaba se tornando o ponto divergente do casal
Quando eu e a Mari escrevemos o post do Arriscômetro, sobre os fatores que valeriam ou não a pena, vale pensar nesse item com um certo cuidado, pra saber se existe alguma “diferença de inteligência” e se vai valer a pena arriscar caso haja alguma...

Se vale colocar alguma dica aqui, eu diria pra que quem se sente um pouco nessa situação, começar enxergarmais alguns pontos, que nem sempre são vistos como ‘inteligência” e dar maior valor a eles, como habilidades artísticas, ou de relações, culinárias, manuais ou qualquer outro atributo que não costuma ser considerado, mas que as vezes são tão ou mais importantes...

20 comentários:

Uma Flor de menina disse...

EU não diria que é questão de QI. pelo menos não exatamente. Acho que é uma questão de gostos. Primeiramente, como disse alguém que não me lembro quem é, "as pessos todas são ignorantes, mas em assuntos diferentes". Acho isso muito verdade. Acho que o problema se dá nas relações extra-casal, com círculos de amigos. Se ela é mestre em física qüântica e todos seus amigos são físicos e o marido é digamos administrador de empresas, vai rolar um desinteresse por parte dele nos amigos dela. e vice-versa. Acho importante como vc falou, ter afinidade. Se os dois se gostam e se respeitam vai dar certo.

beijos!

P.S - só uma excessão: levar namorado ultraburro pra conhecer sua família é que pode ser dose pra leão. Imagina um almoço de família e ele só falar merda. rsrsrs

Drunken Alina disse...

Meu namorado pensa quesabe de tudo.
Tenho que admitir que ele é muuuito inteligente, mas muitas vezes eu falo algo que é certo e ele desconfia.
Isso me deixa puuuutaaaa!!!!
Da-lhe Google pra esfregar na cara dele que eu estava certa.
Outra coisa que vc falou é verdade: ele ama exatas e encara tudo preto no branco, já eu gosto de desenhar, esculpir, escrever, tudo mais abstrato...e pra ele muitas veze sisso passa desapercebido ou ele nem mesmo entende o significado.

Beijãooo!!!!

Raquel El-Bachá disse...

Muitas diferenças de gostos, pensamentos, inteligência, cultura podem gerar problemas para um relacionamento com certeza. Esse tipo de incompatibilidade é difícil de se superar e por mais que se acredite que seja possível. Já passei por isso umas duas vezes e comigo não deu certo.
Beijos.

Lari Bernardi disse...

Aaaahh...

nem toda pessoa inteligente é controladoraa... alias, existem vários menos providos de intelecto que acham que podem mandar...

Claro que tem a ver essa história do nivel intelectual próximo, mas não é fator determinante...

;*

Anna Oh! disse...

Nossa, Andreas, eu sonhei com a Simone de Beauvoir na minha cochilada de ônibus!@ hauahauaahuaahaua

Quanto ao seu post, bom, sei lá... tem gente q me acha inteligente, inclusive uns caras com os quais eu saí. E aí virava aquela bosta do sujeito querendo impressionar. Aquilo dá sono, é sacal.
Acho q nem todo mundo domina todas as coisas msm (como bem colocado em algum comentário anterior) e q claro, o básico de intelectualidade deva ser compatível. Mas sério, sabichão é uó. Eu sei q sou nerd, mas tb não não sou só isso. Então, cabe às pessoas inteligentes ou as q se acham menos inteligentes verem a veracidade disso e talvez manterem a intelectualidade como Um elemento, não o fundamento de suas vidas.

Becitosss

Anônimo disse...

Acredito que o homem está certo no que sabe, mas não no que deveria saber.

É verdade que a mulher gosta de determinar as coisas e de difícil sujeição. Submeter aos maridos é um tabu, porque de forma alguma querem se sentir inferiores.

Mas como apostei que as mulheres são as partes sensíveis, para dizer que elas precisam de cuidados especiais, por se tratar de flores do jardim de Deus.

Devemos respeitar o posicionamento de vocês mulheres, porque questão inteligência ela não é medida por avaliação, no sentido de dizer que depende da paixão de cada um, da afinidade quero afirmar, pois há pessoa que se destaca em exatas, mas na humanas é uma negação.

Entender a dificuldade das pessoas é questão de amor. Você deve amar as pessoas não porque são boas, mas para que se tornem.

Cih disse...

Isso tudo não é mto complicado para um relacionamento só? =D
beijos

Felipe Francesco disse...

É, então, vejo q uma coisa é inteligência e a outra é nível cultural. A inteligência têm essa generalidade de valores aos quais vc se referiu agora o nível cultural, geralmente, ñ tem mto como fugir...Acho q até vale um relacionamento com pessoas de nível cultural não mto equivalente, contanto q ñ se estabeleça essa relação de dominação q vc disse, o q, acredito, é possível. Além de ñ entrar o fator ego do "sabichão" ou coisas do tipo.

cassinha disse...

acho que o problema nem é questão de inteligência.
conheço gente que é super inteligente, tem um grau de instrução bem maior do que do seu 'respectivo', mas mesmo assim aceita a submissão e age igual a um adolescente apaixonado.
e pra mim, um adulto que age assim tá sendo nada mais do que imbecil.
mas tudo em nome do amor, né...

Moni disse...

iiixii isso é mto complicado... meu namorado tem determinadas eações q pra ele é noraml, aí qnd eu faço o msm ele me questiona...´é tão estranho! beijos

Sabrina Mix disse...

Oi, Andreas!

Realmente é complicado se relacionar com uma pessoa incompatível intelectualmente. Ainda não sei o quê muitos homens vêem em meninas muito novinhas. Tá, não precisa responder! hehehe...

Acho que um dos pontos mais importantes na relação é o humor. Mesmo com incompatibilidades intelectuais, culturais etc., com senso de humor é possível driblar tudo.

Beijos e sucesso!!!

D.Ramírez disse...

Bueno, já somos diferentes pelo sexo (maesculino, feminino), portanto, creio que o diferente nos atrai a partir daí..rs Mas quanto ao QI em sí, é tudo relativo, oque valei mesmo é o respeito, dialogo e esses cliches de blás....rs
No mais, é amar e ponto;)
Besitos

Beth disse...

Duas pessoas, dois pensamentos diferentes, duas criações distintas...mas para dar certo tem que haver respeito, cumplicidade e objetivos em comum.

Beijos
Obrigada pela visita...Adorei teu espaço...lindo e escreves maravilhosamente bem.

Máah Castro disse...

Aah muitoo obrigada Anna... Eu realmente precisava saber que existe mais de uma pessoa(eu) nesse mundo que passa mal por causa de vestiba.
shaushuahsuahsuahsuas

E aah, eu acertei 27/50 quer dizer: 54% da prova... mas sei lá
não sei se passo nãao...

Beijos

Máah Castro disse...

Aah muitoo obrigada Anna... Eu realmente precisava saber que existe mais de uma pessoa(eu) nesse mundo que passa mal por causa de vestiba.
shaushuahsuahsuahsuas

E aah, eu acertei 27/50 quer dizer: 54% da prova... mas sei lá
não sei se passo nãao...

Beijos

Biia (: disse...

Eu tb penso que um casal tem que ser equilibrado !! Que os dois tem que estar mais ou menos no mesmo nivel de intelectualidade !!
E cada um tem que começar REALMENTE a valorizar akilo que o outro tem a oferecer, pois pode ser o mais importante que ela possa ter !!


beeijãoo ;*

vida cotidiana disse...

Eu acho que os dois devem pensar pelo menos um pouco parecido, você se relacionar com alguém que não tem algo parecido com você em nível de inteligência, eu acho muitp complicado, bjs

Marie Curie disse...

Bem, acho que o que pega aqui é como cada pessoa encar o fato de ser ou não inteligente. Se vc se reconhece como o inteligente, vc pode:
1- dar uma de gostoso (e oprimir a pessoa)
2- ser bonzinho demais com o cônjugue( e acabar transformando ele em "café com leite")
3- ligar o foda-se e mostrar que esse lance de inteligência é natural, parte da personalidade mesmo.

assim vale muito mais como a pessoa encara as coisas que s dinâmica em si!]
compliquei?
Bjus!

Drêycka disse...

Poxa. Muito interessante.
Assino em baixo.


bjs

Andreas Ribeiro disse...

Não complicou nada Marie querida...