quinta-feira, 20 de novembro de 2008

O atoleiro do passado

Tempos de definição são dificeis. Exigem de nós energia que por vezes não temos - não é todo dia que queremos lutar contra sentimentos díspares, complicados;que desejamos nos perguntar se realmente o amor acabou,se o que sobrou foi só carinho e preocupação ou seja se ainda existe um resquício mínimo que guarda em si a possibilidade do renascimento.
Não é todo dia que temos fôlego para questionar o que fizemos da nossa vida até aqui e qual o rumo que realmente queremos dar á ela. Cansa.Exaure.
Separar-se de alguém que se amou demais é experienciar uma cisão que muda toda uma maneira de ver o mundo:lá se vai a crença de um amor que resiste a tudo, e fica um gosto estranho de fracasso, como se as emoções e as pessoas pudessem ser avaliados em termos maniqueístas. Separar-se de alguém que se amou demais é antes de mais nada, triste. Mas tristezas , por mais profundas que sejam , passam.Desde que nao alimentemos.
A forma mais comum de alimenta-las é insitir em um contato nocivo por nos trazer alento, um tanto duvidoso, mais alento: a voz conhecida, as palavras um dia tão queridas,o choro que sabemos como estancar, a risada que nos lembra dias mais ensolarados[Nos sentimos mais acolhidos com a segurança do passado conhecido, com todos os seus problemas, do que o vislumbre do futuro]. Alimentá-las é achar que isso pode, em algum nível, fazer bem para algum dos dois.
É como manter vivo um paciente com falência cerebral na esperança de que um milagre o faça acordar sorrindo, inteiro.
Dói todos os dias em que isso não acontece. E dói mais ainda quando, finalmente, ele morre - mas, então,pelo menos , todos estão livres para seguir a vida.
A verdade é que, enquanto não decidimos se acabou ou não ,s e queremos de volta ou não [ com todas as idiossincrasias, neuroses e desgastes que nos fizeram partir] ou se ela faz parte do panteão do passado, nada anda.
Atolamos. Ninguém novo pode entrar, arejar os dias.Nem sozinhos ficamos bem.
Só o vulto constante da tristeza nos acompanha, mesmo nas horas mais alegres --ela sabe que, a qualquer momento, a guarda baixará e ela terá espaço suficiente para se instalar.Enquanto não deixamos o passado para trás, não há futuro.

por:Ailin Aleixo

me fez lembrar uma musica de um amigo de uma banda qualquer , diz assim:

" sempre vou acreditar que isso nunca vai mudar, e nada vai nos impedir de ir bem mais além.
Preciso de você aqui para me fazer sorrir , assim. E nada mais vai me fazer feliz"
mas é assim os dias passam sem parar , e eu tenho esperança , que a vida irá trazer você pra me encontrar , pois é bem mais facil com você, só vou pensar no dia que a vida nos reservou pra sempre".


Um beijo :)

9 comentários:

Lari Bernardi disse...

Nossaaa... tô vendo uma amiga passar por issoo. Ela tá sofrendo demais.
Queria poder pegar um pouco dessa dor dela pra mim, pra ela poder se levantar logo. Eu sofro vendo ela assim...

;*

Raquel El-Bachá disse...

Adorei esse texto. Eu passei por isso a pouco tempo. Acho que me livrei desse atoleiro com a última conversa que eu tive pessoalmente com meu ex. Ficou bem claro para mim que não tem volta, embora ele insistisse num "quem sabe no futuro, pq agora ele não quer namorar".
Cansei de sofrer. Estou de coração aberto para que outro bem melhor que ele possa entrar (só falta esse outro ter um pouco mais de atitude).
Beijos.

vida cotidiana disse...

É difícil aceitar o fim, temos a tendência de nos prender ao sentimento que talvez não exista mais. E nos sentimos presos, é importante seguir em frente.

Anônimo disse...

Nossa...essa é miha história. Treminei um namoro de 2 anos, já faz mais de um ano e as vezes ainda me pego pensando nele, mas vejo que pensar assim é andar para trás...

Ca Mi La disse...

Ah o passado muitas vezes me assombra sabe e isso é ruim!

cassinha disse...

bonito mesmo o texto, as vezes a gente tem medo do futuro e prefere sofrer por questões do passado, mesmo que tenha acabado tudo aquilo... sei la pq, a gente (pelo menos eu) sempre acha que há algum resquicio de sentimento ou que ainda dá pra fazer dar certo denovo. ver que isso é um engano dói bastante.

Jana disse...

Bem o texto foi perfeito pra mim, em vez de ficar sofrendo por ser terminal, ele morreu e agora é colocar a casa em ordem.

beijo

Larissa disse...

ah, esse passadoo que vive tentando nos afogar... né?!

Coração Alado disse...

Adorei o post!
Tava precisando muito disso...
"enquanto não deixamos o passado para trá não há futuro"

Lindo!
:)