terça-feira, 23 de setembro de 2008

Paixonites (amor e projeção)

Bom, vou contar aqui uma historinha que vi no espetáculo quando o pessoal do Terça Insana veio aqui em minha cidade, o B do ABC. Algumas pessoas já ouviram minha versão mal-contada, mas lá vou eu de novo...

sabe aquelas coisas que tem quando você vai a um parque de diversões? Aquelas que você coloca a cara dentro e tira fotografias e sai nelas com corpo de cowboy, de Branca-de-neve... sabe (vide foto)? A personagem em questão, que era uma dona-de-casa, traçava um paralelo entre essa “coisa” (que eu não sei o nome) e o amor. Mais ou menos assim:

Quando estamos sozinhos começamos a pensar sobre como seria uma pessoa legal pra ficar conosco; imaginamos a característica, o jeitinho, do que ela deve gostar, o que deve gostar de fazer.... e assim, pensando, construímos essa moldura (igual ao troço citado acima), colocamos um pouco de expectativa, nossos desejos de que ele seja assim ou assado. E, quando aparece alguém, simplesmente enfiamos a cabeça da pessoa nessa moldura e mandamos ver. Tiramos até a foto! Bonito, né?

Sabem o nome do ato de construir toda essa moldura? Projeção! Conceito psicanalítico aplicado a muitas e muitas outras situações. Nessa, em especial, diz respeito às coisas que desejamos encontrar em uma pessoa, a cara pro nosso buraco (no bom sentido, claro!).
Às vezes, ao conhecermos uma pessoa e ficarmos ligeiramente encantados, achamos que fulaninho é inteligente, bem-educado e carinhoso. Também é fascinante, misterioso, bonitão... hmmmmmmm, é tudo o que sempre sonhamos!

Poxa, ele sabe falar alemão, e é alguma coisa que eu sempre quis fazer... ou, ele sabe tocar teclado e eu acho lindo, mas nunca me dispus a fazê-lo. Ele tem o senso de humor que eu sempre quis ter. Se eu fosse homem, me vestiria como ele.
Eis o primeiro tipo de projeção: “buscarás no outro aquilo que falta em ti”.
Não, não é errado. Não existe certo ou errado, só o que faz bem ou o que não faz bem. Passa a não ser legal somente quando você abre mão de buscar as coisas que anseia, deixando isso sempre a cargo do outro; aí você espera que ele seja o encantador, ele faça o que você gostaria de fazer...

A gente é tão parecido, sabe? Os mesmos gostos, as mesmas músicas, a gente lê as mesmas coisas! Até nos filmes, nos lugares em que a gente gosta de ir, é tudo tão idêntico, tão perfeito... parece que a gente vive em sincronia.
O.k., identificação é bom e eu gosto. Você também, até porque dá uma idéia de conhecimento de causa, de território seguro. É legal quando tem essa compatibilidade e vocês falam a mesma língua, mas péra lá... na medida em que você vive com a sua versão cueca a coisa começa a complicar. Primeiramente porque esse tipo de relação se configura com base no narcisismo e tem diversos caracteres infantis, uma vez que busca-se no outro algo que é nosso. Meio egocêntrico namorar consigo mesmo, é?

Ele é novo, sempre animado, bem-disposto... faz com que eu lembre da minha juventude, me sinta mais jovem ao lado dele.
Ta, isso é legal também. A gente tem uma suave regressão até nossa própria juventude, relembra, se sente mais vivo. Masssss... quando passamos a negar a nossa própria idade, a querer viver a vida do outro, hum, encrenca.

Ele é tão parecido com meu pai....
Ele é muito diferente do meu pai!
Tai, o tal do Édipo. Nas meninas, complexo de Electra. Numa tese que li sobre escolhas objetais, dois tipos de postura podem ser destacadas frente ao pai. 1. a escolha de um parceiro muito parecido com seu pai; 2. escolher alguém bem diferente do pai.
Isso é legal, pois também envolve identificação, familiaridade; o casal acredita-se ciente daquilo que pode fazer para atender às necessidades do outro, acha que sabe perfeitamente como cuidar do parceiro. Bom, nem sempre é assim... primeiro, porque ninguém tem saco pra agradar o outro o tempo todo (sejamos francos); segundo, porque sem sempre o que a gente acha que é suficiente e bom para o outro realmente o é....

Esses são só alguns exemplos de projeção nos relacionamentos. Bem dosada e até levemente consciente, dá um colorido muito bom ao envolvimento. Levada ao extremo, frustra profundamente.
Então vale a reflexão sobre quais elementos colocamos na moldura que construímos diariamente... se são impossíveis, fantasiosos ou necessários. Também vale considerarmos que a cabeça a ser enfiada no nosso buraco (o.k., sem duplo sentido) é de uma pessoa, um ser humano que evolui, muda e se transforma o tempo todo.

27 comentários:

Mariana Valente disse...

Primeiramente eu iria fazer uma piadinha sobre o buraco, mas vc já adivinhou... Anna espertinhaaaa!!!
Esse texto veio em boa hora viu? Acho que depois de tanto tempo assim sozinha a gente começa a fazer esses tipos de projeções, e o problema é saber diferenciar a moldura do todo... As vezes a solidão é grande e na primeira pessoa que aparece, assim, sem nenhum critério de exigência, começamos a projetar todos os nossos anseios e desejos, e de repente quebramos a cara... e o tombo parece que é maior! Acho que isso td é fruto do medo de ficar sozinha, a sociedade impõe o conceito de que mulher que fica muito tempo solteira é encalhada, que não tem atrativos e acabamos ficando com isso na cabeça... Eu estou num momento em que estou muito bem sozinha, e eu escolhi ficar assim! Poderia ter algum caso de meteco ou beijo na boca pra quando a carência apertar? Poderia! Mas a questão é eu estar bem comigo mesmo primeiro, traçar meus planos e cuidar de mim, pra depois pensar em ter um relacionamento com alguem...

Ufa, prontodesabafei, hahahahaha

Amei o texto Anna... Ótimo como tudo o que vc faz (ui!)
beijocas!

MELISSA S disse...

Anna, adorei o post!! Fiz isso no último relacionamento e tenho a impressão de que não deu certo justamente por causa da projeção. Estou me conscientizando que o negócio é a gentye projetar tudo de bom na gente mesma. Para não tentar realizar sonhos através da vida do outro... Beijos

Andreas Ribeiro disse...

Matando a pau anninha...
acho que já vi essa foto... hehehe

Então, projeção é foda... acho que ela é meio inevitável e tals... é aquela famosa "cegueira da paixão" e que dizem que some depois e fica "o amor". Acho que não chega a sumir totalmente, mas diminui muiiiiito... o fato é que temos que estar ligados nos fatos reais, pq as vezes colocamos nessa moldura e quando vemos a pessoa agir diferente, achamos que não é nada demais... massss é nessas horas que enxergamos as pessoas de verdade, fora do buraco (ui)

Beijosss
Andreas

Drunken Alina disse...

Esse assunto é muito legal!!!
Estou aprendendo a não tropeçar nas minha projeções... aprendendo a descobrir, aceitar e a curtir as particularidades e diferenças na pessoa que amo... no começo era projeção total mesmo!
Agora é de verdade e carne e osso.

Ah, vc é de sbc!
Minha família e meu namo são daí!
Vou direeeeto praí.

Um beijo!!!

Bem Resolvida disse...

Eu evito sempre fazer projeções, criar molduras...corpo sem cabeça!!
Porque se eu fizer isso e conhecer alguém que é bacana mas que não é exatamente tudo que eu moldei...aí não vou querer mais, vou colocar defeitos...
muita gente faz isso...se decepciona!!
Por isso nada de projeção!
Não sou perfeita, ninguém é, então não tem nada haver querer alguém perfeito. Seria hipocrisia da minha parte...e nessas projeções que as pessoas fazem, muitas vezes acabam moldando a imagem de alguém "perfeito"....e quando descobre que não é.....

Beijos!!!

Raquel El-Bachá disse...

Eu sempre fazia essas projeções e, como a Mariana disse, sempre quebrei a cara. O pior é que eu ficava com a sensação de que estava sendo enganada, mas na verdade eu estava enganando a mim mesma colocando a pessoa naquela moldura que eu imaginava.
Hoje me esforço para não fazer mais isso.
Beijos.

canseidexuxu disse...

Perfeito o paralelo! É geralmente assim... Por isso que eu falo sempre pra deixarem as máscaras caírem logo e se conhecerem de verdade. Só assim pra saber se vale a pena! Porque depois aparecem os problemas e as decepções e a culpa é sempre totalmente do outro, e não de vc que insistiu na ilusão de perfeição.

Beijos!
Xu

Carrie disse...

anninha! primeiro de tudo, eu tenho uma foto nestes corpos com meu namorado! kkkk dei risada quando vi.

Sobre o post, adorei as reflexões e acho também que as "projeções" chegam quando n]ao só estamos à muito tempo sozinhas, mas também quando estamos muito tempo com alguém! Que é o meu caso!

Antes idealizei. Vivi, vi, provei que a projeção era verdade, mas depois de quase 5 anos, me pergunto...era isso mesmo que eu projetava? E é o que eu projeto para o meu futuro?

Talvez por isso o dilema com o meu "amigo"....

Bjinhus!

Carrie*

Carol disse...

Tem selinho pra ti lá no meu Blog!
;**

Gabi disse...

arrasou...
essa história de projeção é bem complexa e totalmente real.
bjos

Delirios de mulher disse...

Já me magoei muito pelo fato de fazer um projeção das pessoas.
È errado,eu sei,mais ás vezes é muito dificil evitar que isso aconteça.
Afinal somos humanos.
BJs

Quase Trinta disse...

Projeções geram expectativas e expectativas geram falsas ilusões que nos levam a frustração.....

Andreas Ribeiro disse...

Quase trinta: Perfeito seu comentário!!!

Anna Oh! disse...

Andreas, nossos leitores estão virando psicanalistas... ahahahahhahahha

é sério, elas captaram melhor do q mta gente em trocentas aulas do professor francês!

┈━═☆ Mari ·.¸¸.·´´`·.¸¸.· disse...

Na verdade aquele texto do meu blog, estou tentando por em prática e não consigo! Rs...
Mas só de reconhecer, já ta valendo.

Un beeej, Ana!
#)~

paula disse...

Olá,

Como posso fazer para entrar em contato com vc? sou diretora de um portal feminino e gostaria de lhe fazer uma proposta de parceria. Se tiver interesse entre em contato pelo email paula@contenido.com.br
E parabéns pelo blog! muito divertido.
Abraços.

Jana disse...

ai que a porca torce o rabo, pq nunca a cabeça vai encaixar bem no buraco que criamos rs

beijo

jade disse...

Eu já passei várias vezes por isso de fazer projeções c meu namorado atual eu até q não fiz e o relacionamento tá fluindo, perfeita as palavras da quase trinta projeção é expectativa e depois q vc suas expectativas indo por água abaixo c um comportamento totalmente contrário ao que vc idealizou na pessoa a frustração é enorme mesmo.

bjus.

cih disse...

Eu nunca imaginei que eu projetasse tanto "alguém" depiis que li esse post parece que caiu a ficha!
Adorei esse blog e já tá linkado!

Beijos!
http://sweeet.zip.net

fazendo manha disse...

Oi moça meu blog o CHEIA DE MANHA foi deletado por denúncia de uma anônima alegando plágio de outros autores..o que não é verdade pois quando as poesias não são minhas tem o nome do autor pois bem foi deletado..e eu ainda nem sei quem é essa pessoa que fez isso..mas tudo bem fiz outro
mudou só um pouquinho o nome e assim que o banner estiver pronto aviso vcs pra ir lá buscar ou venho trazer o código ok :)
o endereço novo blog

http://fazendomanha.blogspot.com

viu mudou pouca coisa rs desculpe o trasntorno de vc ter que mudar o link..obrigada pelo apoio
suave seja!
beijos no coração
.
.
Sandrinha

disse...

aii num deu pra eu ler o post!
MAS DEVE TER SIDO MUITO BOM EIM =)
hahaha

beijãoo e obrigada pelo comentário!

disse...

aii num deu pra eu ler o post!
MAS DEVE TER SIDO MUITO BOM EIM =)
hahaha

beijãoo e obrigada pelo comentário!

disse...

Que post gigante hahah
não deu pra eu ler! =(

mas adorei a foto hahaha

li só o começo depois nao deu mais! =)

beijooos

Lari Bernardi disse...

Descobri que o cara que se encaixava perfeitamente na minha projeção, na verdade não era nada do que eu realmente queria. Eu achava que queria. Doida, né?

Semdo sincera, o que faz as pessoas se relacionarem são os defeitos. Não só em relacionamentos amorosos, mas na amizade também. Os defeitos são os selecionadores.

Aii... falei demais.. ;p

;*

cassiE disse...

achei legal a analogia com os bonequinhos sem cabeça da foto, hahaha.
tava lendo umas teorias do jung sobre a projeção esses dias, e mesmo que seja inconsciente, depois q a gente se liga da projeção que fizemos nós admitimos que a pessoa nem era aquilo que achávamos que era né...
acho que tem um pouco a ver com a nossa cultura do romantismo também, esse negócio de ficar sempre esperando pelo principe encantado. até uns tempos atrás, quem sabe... mas nos dias atuais é muito dificil estabelecer um relacionamento 'sério' e 'sadio', ta todo mundo meio pirado, querendo liberdade e festa.

Mulherzinha Sim! disse...

Gente, esse texto ficou tudo de bom!
Realmente, acho que estamos sempre buscando uma cabeça para pôr no nosso buraco. Mas o problema é que nem sempre ela combina com o resto do corpo (no sentido figurado da analogia que foi feita no texto).

Adoreiiiiii!

Beijos

BelaCavalcanti disse...

É verdade.