segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Histérica 4 – (ou você achava que tinha acabado?) Ser objeto causa de desejo

Pessoas, eu juro (não vou jurar por Deus por motivos ateísticos), mas juro que não faço mais posts falando sobre a histeria; massss... acontece que ficou faltando um detalhezinho, uma característica que Lacan considerava fundamental nas pessoas com estrutura histriônica: ser objeto causa de desejo. Mas, raios, o que é isso?
Simples, a histérica vive para agradar! Agradar ao Outro, diga-se de passagem. Como? Bom, ela supõe o que o Outro quer dela, e executa o que acha que o outro quer que ela faça... complicado?
Nem tanto. Levando em conta que ela “se faz ser” tudo o que alguém precisa, obviamente é amada, aceita, querida e necessária. A histérica é praticamente uma “mulher de Atenas”! É a namorada perfeita, a filha impecável, a esposa submissa, a melhor do escritório ou até da faculdade. É aquela que dá uma de mãezona com os caras com quem se envolve, tenta resolver os problemas deles, ser companheira, compreensiva, conselheira... ser TUDO! Exatamente esse é o objetivo da histérica: servir ao Outro.
Nesse turbilhão de emoções confusas que chamamos de amor, a histérica pode se perder, jogar suas vontades e interesses em um canto qualquer e priorizar o Outro; a satisfação dele, o gozo dele, o prazer dele, as vontades dele.
Talvez essa seja só uma forma de defesa frente a um mundo que parece querer nos engolir; talvez seja um papel a ser cumprido, o de anular as pretensões pessoais em prol da satisfação alheia; talvez seja algo que, uma hora ou outra, todas nós manifestemos, ainda que em proporções menores.
Lacan nunca considerou histeria uma doença; aliás, a psicanálise só considera doença aquilo que a pessoa sente/considera como doloroso. A estrutura histérica é uma forma de viver as coisas, interpretar o mundo. Mas podemos quebrar com essa estrutura? Romper com o padrão “moça-agradável” que quer agradar?
Não é impossível; apesar de o inconsciente ser algo, de certa forma, incontrolável, é através do auto-conhecimento que entendemos, dentro da história de cada um, o porque de agirmos assim. Um ótimo exercício é tentar adotar uma postura mais sua, olhar para suas necessidades, vontades, aquilo que é só seu, e que você faz por si, não pelos outros.

Anna O. é histérica, dá chilique e já tentou muito agradar os outros; num insight, caiu em si, notando que está nesse mundo é pra desagradar!

19 comentários:

canseidexuxu disse...

Nossa... Não sabia que eu era histérica! :)
Lendo e aprendendo!
Já tomei essa decisão de não me preocupar em agradar os outros... Mas isso ainda me consome de vez em quando!

Vamos desagradar! :)

Beijos
Xu

*Dulce Herrera* disse...

2 votos Anna!
Eu tb tô nesse mundo pra desagradar!
ahsaushaushuahsuasha

Tambem jah fui mto histérica, no sentido de querer agradar mto os outros e esquecer de mim mesma

Mas eu já assassinei ela dentro de mim [ainda bem - fato]

Bjuus

Malu disse...

Diz que histeria tem cura, por favor!¬¬

Posso linkar vcs? :))

Beijos

Marie Curie disse...

Ok, depois de 3 posts me desviando de qualquer associação de histérica com a minha pessoa, ferrou! Ok, sou histérica. Eu cuidava do meu ex dodói, fazia almoço, ajudava nafacu e, pasmem, até cheguei apagar algumas contas da casa dele! Eu era ridícula! Estou aprendendo a não ligar tanto para as outras pessoas, mas sabe como é, costume de anos... =P
Sua fã
Marie Curie

Bela disse...

Faço análise há muitos anos, mas jamais achei que perfeccionismo fosse uma faceta da histeria (ou vice versa). Sou ULTRA perfeccionista (histérica), então. Procuro SEMPRE pensar nos outros, tento não julgar ninguém. Sou orgulhosa por fazer o que faço sempre com esmero - e, preciso confessar, adoro "servir". Faço sempre com a melhor das intenções. Meu namorido diz que eu sou a mulher perfeita (hihi). É verdade, ele diz mesmo. Eu adoro :)

Rebeca Medeiros disse...

Ei, tem promoção no blog!

Bjs

Rebeca
www.doavesso.com

Bem Resolvida disse...

eu, submissa?? só na cama. manda em mim, homem macho!!
fora isso........ha ha

Mariana Valente disse...

"Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas..."

pois é Anninha, eu também já fui uma histérica assim, querendo agradar e deixando a mim mesma em segundo plano... mas uma hora a ficha cai né???

beijinhos
:)

Lisa disse...

Será que eu sou histérica? Não sei bem... vou ver o que o "outro" acha... ehehehehe... Barbara sua abordagem! podes me recomendar algum livro sobre este tema (para leigos, please!). thanx

*•·• -=|KÅ®ÎÑÅ|=- •·•* disse...

Será q sou? O.o
ahahahahahaha

Nessa altura do campeonato não sei de mais nada... kkkkkkkkkk aliásm sei q esse post está perfeito, e q sou fã³³³ da Anna O.!!! rs

=D

Anna Oh! disse...

Olha, eu tô aprendendo a responder comentários por aqui... aahaha, liguem não, eu sou meio desorientada.
Moças, histeria não é uma doença, não é algo que exista uma cura, é uma estrutura, um modo de enxergar a vida e nortear suas atitudes... e isso, com auto-conhecimento, segurança e uma auto-estima fortalecida a gente consegue lidar facinho, facinho. Às vezes essa necessidade de tampar o buraco do outro, servir pode ser uma forma de se sentir últil pelo reconhecimento do outro, já que o próprio anda mal das pernas.
Malu, pode nos linkar sim... inclusive deixa o end.do seu blog q eu sempre visito os leitores =)
Lisa, tive essa matéria semestre passado, e quem aborda isso é um discípulo do Freud, Jacques Lacan. A linguagem dele é um pouco complexa, então seria interessante pegar algum autor que explique a questão do Édipo Estrutural em Lacan. A gente usou uns textos, e eu acabei nem pegando o nome do livro, mas era uma coisa densa, de chorar... heheheheh. Bom, faz uma busca sobre Édipo estrutural q ele explica a estrutura histérica, psicótica, o fetichismo, é mtooo interessante (sou suspeita pra falar).
Obrigada a todas!!!!

ERIKA disse...

Olá,anna
Primeira vez no seu Blog e adorando..

Faço análise há muito tempo..quando fui para a terapia eu estava numa fase muito ruim..falava coisas,via coisas estranhas...e meu terapeuta disse que eu estava histérica..e aí?
Hoje estou ótima..mas realmente aprendi a pensar mais em mim...
Vou voltar por aqui!

abraço

Andreas Ribeiro disse...

Ta difícil não ser histérica, né Anninha?? maldito agrado alheio... mas precisando... eu to ae pra dar uma mãozinha!!!

mesmo pq eu sou NO e faz parte da minha estrutura... hahaha alias.. farei um post nesse tema... as histéricas já tiveram 4... (escrito por 3 pessoas diferente, né?? hehe)

Bjossss my dear

Drunken Alina disse...

Eu também já fui histérica, mas vi que todo mundo de gênio ruim era mais amado pelos outros e mais feliz.
Assumi tudo o que sou, e com certeza, é bem melhor!!

Ter uma vida de Sandy é péssimoooo!!!

teaguentanosalto disse...

eu tenho essa mania de primeiro pensar nos outros e depois em mim mas estou tentando mudar. aliás, já mudei bastante! acho que tbm estou acordando pra vida e percebendo que ninguem está aqui por nós, e que precisamos olhar para as nossas necessidades.

bom, adorei o blog! vou linkar ok?

Beijos, D

Anna Oh! disse...

Links são sempre bem-vindos!
Estamos tentando organizar os nossos (talvez algum dia deixemos vários em categorias e bem bonitos) ehhehehehehe, mas são coisas a longo prazo.
Obrigada

Raquel El-Bachá disse...

Vixe! Eu era assim. Ainda bem que já caí na real. Hoje não faço mais de tudo para agradar. Já cansei de ser boazinha, certinha, fazer de tudo para agradar e só me ferrar. Agora que mudei isso parece que as coisas estão dando mais certo.

Danielle Mística disse...

Gente, eu me identifiquei. Isso é bom ou ruim?
hahahahha
Excelente postagem!

Stephanie disse...

Uau... já tinha me identificado antes.. com a que faz cu doce pra ser sincera.. mas agora... ferrou me descobri uma histerica completa...
Acho q todas as mulheres tem essa coisa de agradar aos outros, é meio q a cultura imposta pela sociedade paternalista como a nossa! Infelizmente, mas eu sou assim, e sou mto, sou maezona de todo mundo e meu objetivo é agradar (ai q triste) vou entrar em depressao depois disso...
excelente postagem como sempre