quarta-feira, 18 de junho de 2008

O Feitiço do Tempo

(post com figura, em homenagem a nossa amiga... hehehehe)

Alguém aí já viu o filme que dá nome a esse post? É meio antigo, mas serve para refletirmos.
O sujeito é um repórter bem mala, que deve ir cobrir um evento – o que ele faz todo ano – de uma marmota, se não me engano.. um evento bizarro que ele odeia. O sujeito vai lá e faz seu trabalho, mas, no dia seguinte... quando acorda é o mesmo dia! E isso sucessivas vezes até que ele experimente diversas formas de viver a mesma situação e, - clichê máster – o “feitiço” se vai quando ele se apaixona e blá blá blá.
Bom, o importante do filme é exemplificar bem essa coisa cíclica que vez ou outra notamos em nossa vida. O.k., um pouquinho cíclica ainda vai, mas quando você se pega num círculo vicioso, repetindo os passos, cercando as possibilidades de mudanças e caminhando estradas já conhecidas existem duas possibilidades: a primeira é o conformismo.
Sim, existem pessoas que optam por isso, que se sentem bem fazendo sempre as mesmas coisas, repetindo situações, modelos e tudo mais. Há aí uma grande aliada: a segurança. Por já conhecer os moldes, a sensação de domínio sobre eles não dá espaço para a incerteza, insegurança e medo.
A outra possibilidade é a mudança, que é tão arriscada quanto andar na corda-bamba. Com um rio cheio de crocodilos embaixo. E homens com espingarda apontando pra sua cabeça. Nesse momento, estar determinado é fundamental. Isso vale para modos de reagir a uma situação (a pessoa que sempre se faz de vítima, ou aquela que nunca admite estar errada), para tipos de relacionamentos (aquelas que só arrumam homens casados, ou agressivos, etc), para coisas diversas da vida (modo de se vestir, de pensar, empregos arrumados).
Digo que para sair da estrada segura é preciso muita coragem e olhos abertos. Não adianta dizer que “repetiu” a situação sem perceber ou que tem alguma coisa karmica nisso... simplesmente existem sinais de que a história terá os mesmos meios e os mesmos fins, basta que o estado de “alerta” esteja ligado. Acho que tomar consciência é um primeiro passo fora da rota já tantas vezes trilhada.

6 comentários:

Andreas Ribeiro disse...

Pois é, mudar é um risco... mas continuar na mesma pode ser um risco muito maior, quando "na mesma" é uma bosta!! mas é um risco muito mais fácil de ser trilhado, é muito fácil sofrer porque a vida passou e não lutamos por bons momentos!!

Mas mudar pode ser uma rotina também... e as vezes temos medo de nos aprofundar nas coisas, e mudamos como se fosse algo positivo e nem sempre o é!

E esse filme é clichê, mas é bem loko... hehehe

PS. Qual a diferença entre Morsa e Marmota? hahaha

Anna Oh! disse...

Não sei, vc tinha me explicado mas não faço a mínima idéia... ahahahhaha, antes eu tinah escrito morsa e vc qm disse q era marmota.

Ahhahah, e toca a música da Cher, na verdade Sony & Cher toda vez q o despertador toca no filme. Mto loko!

Gi disse...

Oi ;)

Encontrei esse blog nas andanças pela net, venho há algumas semanas acompanhando os posts (e estou gostando muito, aliás, parabéns), e hoje resolvi dar piteco!!!

Piteco: acho que esse assunto de gostar ou não de mudanças é bem relativo. Eu por exemplo, me canso da rotina facilmente, mudo os caminhos que faço, arrasto móveis de casa, e vivo inventando coisas novas, arrumo cursos (que a maioria não termino, rs), mas tem coisas na vida que sigo a risca sempre, e na real não me considero do tipo ousada, daquelas que arrisca, eu até arrisco, mas arrisco com segurança, rs, se é que me entendem!!!
Admiro pessoas que mudam a vida por completo (tipo país, emprego, tals) acho que pra mim seria bem difícil!!!

Piteco meio longo, né? Me desculpem, rs!

até

Andreas Ribeiro disse...

Bem-vinda Gi!!!

Sempre bom pitecos, e podem ser tão longos quanto você achar necessário!!

Acho que quem faz mudanças muito radicais tem medo de alguma coisa... e muda totalmente como defesa...

Beijoss

Andreas

NaThAn Puente disse...

E quando se tem um v�cio por novas coisas?

Eu detesto viver as mesmas coisas..me cansa..me deprime.. t� igual a Sharon Stone em Instinto Selvagem eu preciso de mais perigo!
Adoro seus posts...e adorei o layout..como sempre adoro..
Beij�o!

NaThAn Puente disse...

E tbém...
adorei a marmota!