sábado, 21 de junho de 2008

Libertina


Sou assombrada pelos meus fantasmas, pelo que é mítico e fantástico - a vida é sobrenatural. E eu caminho em corda bamba até o limite de meu sonho. As vísceras torturadas pela voluptuosidade me guiam, fúria dos impulsos. Antes de me organizar tenho que me desorganizar internamente. Para experimentar o primeiro e passageiro estado primário de liberdade. Da liberdade de errar, cair e levantar-me.Mas quero ter a liberdade de dizer coisas sem nexo como profunda forma de te atingir. Só o errado me atrai, e amo o pecado, a flor do pecado.E quero a desarticulação, só assim sou eu no mundo. Só assim me sinto bem.E eis que te faço perguntas e muitas estas serão. Porque sou uma pergunta.Vou te fazer uma confissão: estou um pouco assustada. É que não sei aonde me levará esta minha liberdade. Não é arbitraria nem libertina. Mas estou solta.Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero é uma verdade inventada.Liberdade? é o meu último refúgio, forcei-me à liberdade e agüento-a não como um dom mas com heroísmo: sou heroicamente livre. E quero o fluxo.Posso não ter sentido mas é a mesma falta de sentido que tem a veia que pulsa.O que te escrevo não tem começo; é uma continuação, das palavras deste canto que é meu e teu, enrola-se um halo que transcende as palavras.

que eu seja bem-vinda!=)
essas palavras sao minha alma entre linhas!
é como uma metafora do meu coração =)

:**

4 comentários:

Andreas Ribeiro disse...

Eeeeee

seja bem vinda Srta. Monroe!!!
meu gosto pela poesia não deixa esse texto passar em branco, sem causar emoções!!!

Beijos
Andreas

Anna Oh! disse...

Lindíssimo texto, e cai como uma luva para uma apresentação... eheheheh
Parabéns e boa estréia!!!!!

Bjussss

Penelope "A Charmosa" disse...

Bem vinda ao divã! É um prazer histericar com você hehehe...

*Dulce Herrera* disse...

Bien-Venida!(é, eu sou a colunista q adora falar espanhol hehehe)
Seu texto foi magistral, lindo!
De uma forma meio surrealista, parace q estamos flutuando no meio do espaço!
Espero ver mais textos desse estilo no blog, viu??
Parabéns!

Besos,
Dul Herrera