quarta-feira, 28 de maio de 2008

Bebidas, cigarros e um pé na bunda

Me diga, mulher, se você já não passou por isso? Do nada, o namoro acaba, você descobre que o carinha saía com váááárias, ou o casamento termina, ou vocês chegam em um acordo aparentemente pacífico visando o fim e juram manter relações diplomáticas – o que quase nunca acontece.
Nesse instante qualquer mortal do sexo feminino realiza um ritual, seguindo diversos itens, não necessariamente nessa ordem:

- Choro, muito choro. Chora e baba, às vezes chora e fica com o nariz escorrendo, se descabela, arranca o esmalte das unhas, o rímel borrado, poucas palavras saem, às vezes só um murmurar indecifrável.
- Procurar uma amiga. Porque a associação livre, o falar ininterrupto foi feito sob medida para as moças; quase sempre essa amiga ouve, faz algumas intervenções radicais, dá os conselhos mais malucos da sua vida e sugere:
a) mudança no visual;
b) que vocês saiam por aí;
- Saída pós-pé na bunda. Depois de ter cumprido o item a (que pode ter sido maravilhoso, te transformar completamente e dar um “up” na auto-estima, ou que pode te deixar mais montada que uma drag) você aceita a sugestão da amiga, sai. Fatalmente bebe todas e, se alguma vez seu ex disse que odiava que você bebesse e fumasse hahahahaha, você vai fazer isso às tampas. Lá também tem outros caras e o ambiente propicia ficantes, peguetes e total relação de consumo com o outro – o que é uma maravilha quando você só quer se sentir gostosa e ficar com qualquer um. A vantagem de boates e barzinhos a meia luz é que suas olheiras são praticamente imperceptíveis; se tiver aquela luz do estreboscópio (eu sempre quis usar essa palavra em um texto!), melhor ainda!!!! Você pode estar parada, vai parecer que está dançando; você pode enxergar o cara raras vezes e é mais fácil apagar o rosto no dia seguinte. Essas invenções facilitam nossa vida pós-moderna!
São possíveis crises de “promiscuous girl”, descidas até o chão, jogadas de cabelo fatais, horas de arrumação, fofocas femininas no banheiro e por aí vai.
- No dia seguinte. Podem surgir diferentes reações: ou você fica extremamente bem, tipo “eu supereiiii!” ou mal pra caralho. Caso a opção seja a segunda, o negócio é deitar na cama, ouvir Smiths e definhar. O cara pode ligar, pode não ligar; você pode dar telefone errado, ou dar o certo e se arrepender.
- Operação bota-fora. É quando você resolve levantar todos os itens do falecido que se encontram na sua casa e juntá-los num saco bem fundo, numa caixa. Algumas gostam de destruir tudo, arrancar friamente a cabeça dos bichinhos de pelúcia, queimar postais, cartas, quebrar cds, deletar do orkut, msn, bloquear, rogar pragas, fazer macumba, destruir fotos. O importante é não deixar nenhum vestígio visível de que o sujeito passou pela sua vida.
- Dentre recaídas você oscila entre a total falta de apetite até uma fome de comer paredes. Chocolates são grandes aliados.
Alguns dias você se sente transformada, outros um lixão. A imagem no espelho pode sofrer distorções. Nesse estágio começam os questionamentos.
- O resultado pode ser uma grande perda de peso ou uma engordada daquelas, o que nem sempre condiz com a vontade da garota. Foda isso, very foda.

O importante é que nessa fase todas as energias sejam canalizadas para a reconstrução da pessoa equilibrada que você JÁ foi. Quanto ao falecido, mate e enterre. Quem sabe o fantasma aparece mais adiante e se torna algo melhor frente aos seus olhos, quem sabe você deva exorcizá-lo periodicamente, quem sabe ele já estava no outro mundo e só você não sabia.

Uma dica legal para as que ainda estão apaixonadas pelo ex é o método detonador: consiste em parar de lembrar das cenas românticas, pipoquinha no parque, apelidos melosos, e-mails apaixonados e voltar todo seu pensamento para algo que te irritava nele, ou uma característica bizarra totalmente brochante que você ignorava porque estava envolvida. Convém lembrar do close no dentinho encavalado, na risada sem som, tiques nervosos, manias detestáveis... dá certo! Agora imagine-se tendo que conviver pela eternidade com a pessoa e essa característica detestável. Agora você vai ver como foi bom o despacho.

11 comentários:

Anônimo disse...

Ontem uma garota da minha sala perguntou pra todas as pessoas da sala o que mais as irritava nas mulheres. Segundo ela, está escrevendo um livro, ou coisa do tipo, sobre isso. Eu respondi que era a mania que mulher tem de falar mal de ex só pq um relacionamento não deu certo. Não importa se o cara era legal ou não, se terminou o cara passa a não valer mais nada.

Anna Oh! disse...

Bom, primeiro que falar mal é catártico; segundo, há limites no "falar mal". Entendo que algumas pessoas se irritam com isso, mas cada um lida com o calar/falar de uma forma diferente.

Penelope "A Charmosa" disse...

P-E-R-F-E-I-T-O!!!!!

Amiga vou te contar viu, agora vc se superou.
Conseguiu descrever fielmente o que acontece na maioria dos casos de fim de namoro.
Parabéns!

Anna Oh! disse...

Obrigada! Eu fiz esse ritual pelo menos umas 10 vezes... hauahauahauahau

Andreas Ribeiro disse...

Mewwwww

Detonou Anninha!!!!

mas pq raios tem q fazer tudo isso?? as mulheres fazer (os homens talvez passem por alguns desses estágios... mas nem sempre, nem todos)...

Um ex pode ser bom, e não ter dado certo... num pode perder de vista as partes boas, né??

Mas dar uma de periguete depois é a coisa mais normal que tem!!

Muito foda seu post!!!!!!

a.jesus.soares disse...

caramba,amigaaaaa!
kkkkkkkk...hilário demais!
estou entrando na fase,pq eu casei com isso!...e sei que a gente colhe o que planta.
eu plantei romance e paixão,mas acho que reguei pouco ou jogaram uma pedra encima do foi regado.
é pedra!pq estou na fase de querer jogar tudo pro alto caçar minha felicidade!!!!
que pena que não deu...ainda empurro com a barriga,mas...já deixei claro que acabou!
iiiiiihhhhhhh! acho que agora me ferreu por completo!
kkkkkkkk só rindo pra não chorar!!

Anônimo disse...

Quando meu namoro terminou emagreci 15 quilos :O

Foi bom... continuamos "amigos", pelo menos na teoria... mas depois de um tempo me afastei dele e nunca mais o vi...

Melhor assim.

Beijosssss

Rebeca
www.doavesso.com

nati disse...

Aninha amei o seu post!!
nunca niguem descreveu tao bem o universo feminino!!
parabens! =)

Luciane disse...

Lindinha,

achei seu comentário básico e muito genaralizável... lembrar de coisas ruins??? Será que isso detona a imagem? Será que não fantástico ir ao cabelereiro e ficar linda??? Será que todas as mulheres quando terminam fazem o estilo 'facim' que você resume??

minha cara, creio que há coisas menos generalizáveis e possíveis de serem descritas e aconselhadas para as mulheres se superarem dos finais, que na verdade nunca são finais absolutos, são interrupções de história, que acabam sendo deixadas de lado e aos poucos esquecidas...

é interessante a história, mas reveja seus pontos de vista... ou apenas se proponha a fazzer algo cômico, sem grandes intenções de aconselhamentos...

abraços

laurampa93 disse...

sabe, lendo o seu texto, acabo de perceber uma coisa..
por mais que ele tenha me traido da forma mais tosca (prostituta, no aniversário do primo virgem de 18 anos.. ele nao considerou traição, mas se arrependeu de chorar.)
bem, essa parte eu, por mais incrível que pareça, perdoei .. e nao foi da boca pra fora, perdoei de coração aberto !
e fora isso, ele fez nada que me dê raiva dele, e vontade de quebrá-lo ao meio ..
o mais estranho é ouvir músicas tipo nao dá mais do nosso sentimento (que diz ' você me usou, feriu meu coração') e pensar que ele nao fez isso ..
pensar qe ele nao me trocou por outra..
e pensar ainda, que ele está decidido a me esquecer, sem direito a ultimo beijo, a ultima chance ..

infelizmente raiva nao cabe a todas nós ..

o que fazer entao?

Michelli Santos disse...

usushus hilario isso, e tbm a mais pura verdade, eu to passando por isso. ja joguei as coisas fora, ja dei uma de piriguete na frente dele que axo q acobou com um pouco de "respeito" que ele tinha por mim. MAIS ta valendo pra esquecer façoo todosd os rituais ushshus adoro vcs.