quinta-feira, 29 de julho de 2010

Escravos da Tecnologia

Incontestável afirmação que permeia as nossas relações atuais de várias formas. Somos fruto do meio em que estamos e grande parte do nosso entendimento de nós mesmos e dos outros se dá nesse meio.
E hoje, somos escravos da tecnologia... Essa expressão pode parecer um pouco exagerada, talvez uma tentativa literária de dramatização e ênfase no texto, porém, deixe acontecer um apagão, como houve aqui no Brasil em 2008, lembram-se? O Caos urbano, a sensação de que nada podemos fazer, perdas em dinheiro, material, enfim, tudo se instaurou pela falta da energia elétrica, o que me remete ao fato: Somos escravos da tecnologia.

E essa influência se dá em várias formas, vou tentar elaborar essas idéias nesse post, se achar que é muita coisa, posso dividir em parte, mas por hora vai tudo aqui.

Para mim, a principal conseqüência desse avanço tecnológico é o imediatismo com que as situações ocorrem e com a qual nós necessitamos que ela ocorra.
A superficialidade das relações é o fruto desse imediatismo, ficamos com uma pessoa aqui, outro dia com outro ali e semana que vem esquecemos os nomes deles (as), sem dizer claro, de ficarmos com 5, 10 na mesma noite e tampouco soubemos um desses nomes.
Não que isso seja errado, apenas uma característica do momento histórico, como todas as outras, também geram questões por assim o serem.
Nesse caso, o vazio é a maior conseqüência da fragilidade das relações, completamos os vazios de nossa existência com o colocar de pessoas (ficantes, fuckyfriends, sexo por apenas uma noite etc) e então experimentamos o prazer da liberdade, da pluralidade de escolha, da libertação sexual feminina e no dia seguinte ou em um dia ruim, uma semana depois, o vazio continua a persistir em nós.
Recorremos à agenda do celular, Orkut, twitter e etc para buscarmos novas companhias e preenchimento dos vazios.

Num próximo post abordarei outras questões influenciadas pelo nosso modo de vida atual.

Saudades desse nosso espaço aqui.

Beijos
Andreas

5 comentários:

Daia.BSilva disse...

Pior é sentir o vazio mesmo tendo alguém! Mal sei dizer se o problema sou eu ou o outro... hahaha! Gostei desse texto... quem sabe a culpa não seja da tecnologia?! =/

Única e Exclusiva disse...

saudade de ti. ^^

Só me questiono, onde vamos parar?
Quais valores estão se perdendo?
Entre outros!

Assunto e tanto.

BJos ú&e =**

Flávia Batista disse...

é incrível né?! Somos muito reféns mesmo.

bjss

Nós disse...

Incrivelmente ninguém hoje liga pra nada, além do lance da tecnologia, parece que todo mundo é descartável!
Isso tem um "Q" de egoísmo!
Beijos

Marcello Eros disse...

E o interessante é que hoje ouvi uma reportagem dizendo que as redes sociais vieram como uma resposta da força social ao marasmo/vazio tecnológico. Concordo. A criatividade sempre surge quando percebemos que o fundo da vala está chegando. Taí a força dos blogues.

Grande abraço.

http://carnebruta.blogspot.com/