quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Quando você amou? (Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças)

Como você pode saber quando você passou a amar uma pessoa? O que a tornou especial, porque ela se tornou especial? Pois é pensando nesses assuntos que eu Andreas venho acá falar sobre o (Fenomenal) filme: Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças.

Este filme é claramente uma história de amor, porém, bem longe dos “clichês” hollywoodianos (quase sessão da tardísticos), ele faz um caminho inverso meio que do fim para o começo e o filme começa no que seria o pós-“felizes para sempre” em que as brigas imperam, a rotina e os problemas acontecem.
O filme que trabalha com algo meio “fantástico”, pois um médico e sua empresa oferecem às pessoas a possibilidade de apagar alguém da sua vida e Joel Barish (Jim Carey) vai atrás dos serviços após descobrir que Clementine Kruczynski (Kate Winslet) o apagou de suas lembranças... Mas ao se deparar com as suas lembranças de Clementine (que eram pra ser apagadas) ele revive todos os seus momentos com ela e entra em contato novamente com todos os motivos pelos quais ele se apaixonou por Clementine.
O filme ainda fala um pouco sobre a ética médica e tem uma trama paralela com os personagens da empresa Lacuna, mas não entrarei em detalhes e nem contarei mais do filme pra não fazer “Spoiler” para quem não viu e se interessa em assisti-lo!!

Mas voltando ao começo do meu post, como podemos nos afastar daquela pessoa que amamos tanto? Quando o amor vira rotina, tédio e discussões? Se acontecer, será que ele não era amor, ou é “romântico pueril” acreditar que ele não tem fim?
Talvez precisemos fazer uma viagem por nossas lembranças para percebemos o quanto gostamos daquela pessoa ou jamais esquecer de fato, para lembrarmos todos os dias...

Vou colocar abaixo alguns trechos do filme e algumas citações interessantes:

''Por que me apaixono por toda mulher que me dá qualquer tipo de atenção?” (Joel Barish)

“Alguma lembrança desagradável? Se lembre, a lacuna pode apagá-la” (Propaganda da Empresa)

“Quão feliz é o destino de um inocente sem culpa,
Esquecendo o mundo e sendo por ele esquecida.
Brilho eterno de uma mente sem lembranças
Toda prece é ouvida, toda graça se alcança”
Alexander Pope (Dito no filme pela personagem da Kirsten Dust)

"Eu poderia morrer agora, estou tão feliz. Nunca senti isso antes. Estou exatamente onde queria estar." (Joel Barish)

"Muitos caras acham que eu sou um conceito e que eu os completo ou vou dar vida a eles.
Mas eu sou só uma garota ferrada procurando pela minha paz de espiríto.
Não me encarregue da sua" (Clementine)

“Abençoados sejam os esquecidos, pois tiram maior proveito do equívoco”
F. Nietzsche (Dito também pela Kirsten Dust)

"O dia dos namorados foi inventado pelas indústrias de cartões para deixar as pessoas tristes." (Joel Barish)


FICHA TÉCNICA
Título Original: Eternal Sunshine of the Spotless Mind
Elenco: Jim Carrey, Kirsten Dunst, Kate Winslet, Elijah Wood, David Cross.
Diretor: Michel Gondry
Roteiro: Charlie Kaufman
Duração: 108 min.
Ano: 2004



PS. Sorry, mas só achei esse trailler em inglês...

31 comentários:

Déia disse...

Esse filme é muito legal!

Como se desse pra apagar nossas cicatrizes, né?
bj

Drika disse...

Gsotei da historia.
Vou assistir sim.
Otima semana
bju

Sereníssi*mah* disse...

Ótimo! Falou que escreveria e escreveu mesmo! Trouxe uma reflexão interessante com o post, uma discussão que, à minha maneira de encarar a arte, capta justamente a sua propriedade transcendental.
A função da arte é transcrever, pelas linhas do lúdico, a alma e os constructos humanos nas suas inúmeras facetas, mas não é apenas isso que a caracteriza, a principal ação da verdadeira arte no mundo é transcender ela própria.
O filme é ótimo, uma legítima obra prima. Direção "brilhante" [pegou o trocadilho?; )], roteiro inteligente, "Brillho eterno" não acaba depois do fim, é aí que ele de fato começa, aí está a tal da transcendentalidade da arte.
Ponto pra eles, ponto pro público.

**Beijoooos

Desabafando disse...

Gostei bastante do post de hoje...já vi o filme e ele desperta mesmo essas reflexões. Fiquei com vontade de assisti-lo novamente!

Taminha disse...

geenntee eu sempre quis assistir esse filme...agora vcs me deram + motivos ainda rs...
Post lindo,vocês falaram de uma forma leve algo muito complicado neh?
Qdo acaba o amor? SE ele acaba neh..
e tbm sobre as lembranças até qdo elas sao ruins...
vou ficar pensando muito sobre isso hoje..
Bjux para todos

Páginas da minha vida disse...

"O dia dos namorados foi inventado pelas indústrias de cartões para deixar as pessoas tristes." (Joel Barish)
concordo com a frase!

e respondendo a sua pergunta de como podemos nos afastar das pessoas que amamos,não sei mesmo...às vezes por mais distantes que possamos estar dela,na nossa cabeça,ela sempre está ali,basta ouvir uma música,ver uma foto...não tem como esquecer.

eu tenho que pegar esse filme!!!! não conheço uma viva alma que fale mal desse filme...

belo post!!!

bjs

Sarah disse...

esse filme é um dos meus favoritos e ja citei varias vezes no meu blog. A possibilidade presente no filme realmente nos faz pensar em como seria se o dr. Howard Mierzwiak existisse...

Drêycka disse...

Oi amigos!!

Que coincidência, dia desses postei sobre este filme! Quem quiser dar uma olhada...

http://nodivadasdivas.blogspot.com/2009/05/separacao-e-o-brilho-eterno-de-uma.html

Muito bom o filme!

Bjsss

Barbie Girl disse...

Olá amada,

Já ouvi falar muito bem desse filme, quero assistir!
Obrigada pela dica e pelo carinho lá no meu blog!!

Sobre amor, é algo além da razão e da imaginação, é algo que não precisa de razão, nem explicação... não busca interesses, é algo que só sabemos como é, quando sentimos e que é impossível descrevê-lo!

Eu sei porque AMO!!

Um beijo, belo post!

NANDITA CAYMMI disse...

ôpa... desculpe-me pela falha, estou reparando agora mesmo.
Pondo a devida referencia aos trechos. Me desculpa hein? nao me recordo de ter vindo por aki, mas ao reler o texto, lembrei-me que uma amiga, que também colabora com o blog o havia me enviado. Então um puxao de orelha nela. Vou dar mais atenção a esses probleminhas e verificar os textos da fonte q minha colaboradora me envia.
Um abraço e verificando "plagio" em outros textos pode me avisar que reparo o erro.
Grande abraço e parabéns pelo blog. bjinhos!

Drunken Alina disse...

É um dos meus filmes preferidos!
MARAVILHOSO!
E sei que amo meu namorado porque nesses quase 3 anos tivemos momentos maravilhosos e tenebrosos,e no meio dos tenebrosos,mesmo assim,sabemos que precisamos um do outro pra continuarmos a ser felizes,pois,como sempre digo pra ele, ele já se tornou um pedaço meu muito grande,mesclou e vai ficar em mim pra sempre!

Beijos!

Kesy disse...

Assisti a esse filme... achei maravilhoso como todo mundo que assistiu também achou!

Sei lá a partir de qual momento o amor começa a acabar... só sei que as vezes começa, e a gente deixa que isso aconteça... tava falando disso com uma amiga um dia desses... eu no fundo no fundo sabia que meu antigo relacionamento estava a beira do penhasco e não conseguir fazer nada para resgatá-lo... aí ele me trai, e permanece lá no íntimo aquela intuição de que a culpa foi minha, apesar de que os xingamentos só foram direcionados à ele...

Bom, falei demais!rsss

Beijos

Filha do Rei Jesus! disse...

"Eu poderia morrer agora, estou tão feliz. Nunca senti isso antes. Estou exatamente onde queria estar." (Joel Barish)


Amei a frase acima!

Esse filme realmente é ótimo...

Eu acompanho o divã a bastante tempo , mesmo quando não tinha blog!

A cada postagem vocês se superam!

Beijokas

CarOl disse...

huum
dica de filme é sempre
legal!!

CarOl disse...

huum
dica de filme é sempre
legal!!

Drika disse...

Nem me fale, passo por cada uma.
Mas vou continuar com meu plano hahaha não vou fazer nada que ela não mereça!

Bjaum

Fran disse...

Já vi esse filme, é realmente muito bom :)
O blog tah cada vez melhor, meninas!

Beeijos para vocês *-*

Simone Cardoso disse...

Esse filme é belissimo e a trilha sonora também é muito bela.
Nós sem as cicatrizes seriamos como personagens de video-game. Não somente de felicidade e alegrias é feita a vida. O tempo consegue apagar o que esta escrito na areia, cicatrizar nossos ferimentos, mas jamais conseguirá apagar o que está escrito em nossos corações.
Bjs

Kika disse...

Adoreiii seu blog...
Nunca assisti este filme... já me falaram mt dele...
Agora vou assistirr... fiquei curiosa..kkk

Joicély Janaina disse...

Sabe quando eu sei que amo?

Quando percebo que a cada coisa que faço,
cada sorriso que dou
ou cada lágrima que cai,

gostaria de ter você ao meu lado.

"Eu estou exatamente onde queria estar".

Contigo.

Mrs. Ribeiro.

Emylianny disse...

Esse filme é simplesmente incrível eu definiria como intenso e delicado e a aura artistica entre o Jim Carrey e a Kate Winslet é simplesmente única...ótima lembrança fiquei até com vontade de assistir de novo e me deliciar com as cenas lindas na neve contrastando com o cabelo multicolor da kate e com os dialogos...
bjbjbj

Kety disse...

ANDREAS, AMEI O POST.. E VOU PROCURAR O FILME PARA PODER ASSISTIR.
REALMENTE ESSA QUESTÃO ABATE MINHA MENTE; COMO PODEMOS "DESAMAR" ALGUEM QUE AMAMOS TANTO.. QUE ESCOLHEMOS PARA FICAR JUNTO A NÓS?! AS VEZES NUM TEMPO NEM TÃO LONGO... AQUELE QUE UM DIA JURAMOS DAR NOSSA VIDA.. LOGA SERÁ MAGOADO OU NOS MAGOARÁ... A CERTEZA DO RELACIONAMETO NOS DEIXA RELAXADOS EM RELAÇÃO AO MESMO!POREM AO MENOR SINAL DE PERIGO JOGAMOS NA CARA DO COMPANHEIRO TUDO QUE JURAMOS, TODAS AS JURAS DE AMOR ETERNO.. MAS ESQUECEMOS DE FALAR QUE EM PELO MENOS UM INSTANTE PENSAMOS EM FAZER O MESMO... =/
AFINAL... GOSTAMOS DE COMPLICAR... E DE POSSUIR TUDO E TODOS!!
=P
BJUS
KETY

exoticlic.com disse...

eu ja assisti este fiçlme, foi bacana mesmo e o Jim sem palavras sou fã dele seja em dramas ou comedia! amo ele!

Nós Três disse...

filmão, mas acredito sem impossivel apagar lembranças...

Mirian Carla Villaça Barbosa disse...

Vou assistir, adorei as palavras dela.


Tenho problemas com namorados que me "transformam" na mãe deles, no divã e em alguns casos em sua salvação.


Beeeijos

.:: lullaby ::. disse...

Esse filmeee é muuuito lindo *_*
o pior é que eu só vi uma vez e faz MUITO tempo "/

adorei o blog aqui meninas x]
vou adicionaaar ;)

:***

Lu disse...

Não vi o filme, mas o assunto "rende"...Depois de um divórcio, um casamento bem sucedido (por enquanto) e alguma experiência, acho que o amor dá certo enquanto queremos, realmente, que dê certo. O importante é não perder o foco.O problema é quando um dos dois desiste, geralmente por preguiça. Dá trabalho manter uma relação viva. Há anos ouvi uma frase que tenho como grande verdade: Quer que um relacionamento dê certo? Tenha como meta fazer o outro feliz...
Parabéns Andreas, belo tema.
Bjs.

Ju disse...

Adorei esse filme, muito bom!!

E a tecnologia seria muito útil se existisse. rsrs

Bjo

Gabiih disse...

É meu filme preferido, já vi milhões de vezes.
Relacionamentos se desgastam, mas não é pq acabou que não houve amor. tem gente que acredita que amor é só uma vez na vida. eu acho que existem diferentes formas de amar. o difícil é só conseguir reacender a velha chama.

Raquel El-Bachá disse...

Engraçado que não gosto do Jim Carrey, mas sdorei esse filme quando assisti. É um dos meus favoritos. Acho que vou assitir de novo.
Beijos.

Allana disse...

Acho e esqueci o q é amr, tão maravilhoso sentimento ... o filme vem a calhar ....valeu pela dica