segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

E eu só vou à pé...


*By Anna Oh!, ilhada em Lost*

Se o clima entre você e um rapaz vai esquentaaaaando, esquentaaaaando... vocês precisam de um lugar. Pros mais descoladinhos e de famílias modernetes, come-se e dá-se em casa mesmo. Mas se esse não é o seu caso, minha cara, daremos as mãos.
Toda hora pode ser hora, mas nem todo lugar é lugar. E aí, estrategicamente, cogitamos diversas hipóteses de cafofos próprios para o ato em si. Motel, taí! Aquele neon chega a piscar na sua cabeça... o problema é: nenhum dos dois tem carro.
Diante de tal impasse, muitas garotas torcem o nariz, desistem, buscam relacionar-se com rapazes motorizados (vulgo marias-gasolina!) tudo para evitar entrar a pé no tal motel.
Eu vos pergunto:qual o problema?
Já ouvi relatos de garotas que largaram o cara porque ele não tinha carro, porque não poderia buscá-la de carro na porta de casa, porque trocou o carro por uma moto e sabe, moto não é confortável. Garotas, até que ponto vai o coquetismo, dondoquice, bonecagem? O cara, na concepção das gurias, é um chofer!
Vai ó... não é constrangedor: são só alguns passinhos até a cabine da atendente. Você não precisa ficar na fila, de mãozinhas dadas; em diversos lugares a garagem chega a custar uns R$20,00 mais caro por pernoite. Pra atendente, aquilo é mais do que normal; pros transeuntes, bom, foda-se os transeuntes, eles nem sabem de você! Se o fight vale a pena, se joga! Com carro, sem carro, de submarino amarelo e helicóptero! Pedestres vão e vem o tempo todo. Ah... e pedestres também trepam!

*Recebi esse post enviado pela nossa querida Anna Oh!, que o escreveu em uma folha de bananeira e o enviou em uma das poucas garrafas que ainda existem em Lost. Para quem não sabe, Anna locomove-se para São Paulo por dois paus-de-arara e alguns cipós no caminho, pegando ônibus para efetivamente chegar perto de nós. Lost que, por sinal, perdeu comunicação com a terra firme depois das chuvas que acabaram com a internet por aqui.

Estamos com saudades de você, Anna!*

28 comentários:

Ice Ice Baby disse...

olha, eu confesso q teria uma certa vergoinha de ir à pé..mas é pq eu já tenho vergonha de ir à motel mesmo de carro...

mas gente, e o táxi?!! pega umas quadras antes e vai...nada demais...e não vai gastar mais q uns R$6!

ah, e sexo é bom fazer qd dá vontade...lugar se arruma sempre né?!

Bell Bastos disse...

Geeente, espero que a situação da Anna melhore logo. E ela tá certa, tá sem carro, vai a pé ué!

Andreas Ribeiro disse...

Anninha.... por muito tempo fui um homem à pé.... coincidência (OU NÃO), nesse período eu também era um homem sem laços carnais (no português claro, Um PEGA NINGUÉM)...

E portanto quando precisei de fato, já possuia veículo automotor.... mas eu, por mim, falando da minha pessoa de eu... hahaha não daria a mínima de ir a pé, se fosse pra dar uma boa... hã hã
Portanto, Abaixo as marias e joãos gasolina... e viva o sexo sem preconceito, credo, raça, religião e chassis.... hahaha

Bjos
Andy

PS. Volte de Lost... ao final da ilha sentido noroeste, há um submarino, pegue-o antes que o Locke (Professor Xavier) o destrua..

bruceediana disse...

Eu nunca fui e acho que nem iria se fosse mais menina, eu era uma menininha mt certinha, sabe? Mas agora sou uma mulher, e mais ou menos louca. E iria sim. Mas tb não gostaria de namorar alguém tão duro a ponto de andar a pé, namoraria? Não, não namoraria. Então, pode-se dizer que eu não iria e nem era por vergonha, porque sinceramente, não estou nem aí pros outros. Mas adoro um cara que possa oferecer alguma vantagem monetária, já que eu ofereço e não ligo de oferecer, se tiver. Sou uma mulher de 38 que adoro um conforto meus caros!!! {D.}

Patricia disse...

quem não tem cão caça com gato.
eu não vejo nada demais em ir a pé, qualquer coisa coloca um óculos escuros e um chapéu uhauahua
:)
e salvem a Anna da chuva. e todos dos temporais.

Nubinha disse...

Adorei isso! Mas morria de vergonha de ir á pé... o que custa ir até um ponto de taxi próximo do motel e entrar de carro, pelo menos só o taxista vai saber que vc está ali! Era isso que fazia antes do meu namorado comprar um carro! rs Porém, saia a pé mesmo! No meio da madrugada quem passaria ali e repararia que nós estavamos saindo dalí?!

Amoooooooo³ o blog de vcs!
Bjs

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

vai de taxi gente.

Crisenta disse...

haha amei.. morri de rir aki ! mais confesso que apesar de não ter preconceito nunca cheguei a pé em um motel no maximo um taxi, o que juro que ja mi deixou constrangida hauhauha.. mais vc ta certaa.. ligar o fodasse pra dar uma foda (mesmo que seja a pé) é a melhor coisa que agente faz ! haha
beijos

Agrilla disse...

eu sinto muita falta de ter carro. mas não para ir ao motel, pq eu moro sozinha e meu namorado tb ahahah. mas tipo, eu prefiro eu ter um carro do que arrumar um cara de carro. maria gasolina não dá

Drêycka disse...

ATEH IRIA PRA ILHA DE LOST, SE FOSSE PRA FICAR SOZINHA COM JACK! OU DESMOND! AI, AI...

HEHEHE

MTO BOM O TXT!

Emblemática disse...

Ai, eu concordo com a cruela, pega-se um táxi e tá td resolvido. Mas é melhor ir a pé do que não ir... hahahahah... Lembro da época q eu ia para a faculdade, no caminho do trem tinha um motel, descia um bando de gente do ônibus em direção ao trem, daí tava esse bando caminhando e no meio um casal que, quando tava todo mundo passando na frente do motel, eles entraram bem faceiros...hahahaha... e todo mundo ficou olhando... como se fosse a coisa mais incomum... hahaha...enquanto todo mundo ia pra facul eles iam fazer coisa bem melhor!!!

Bj

Marie Curie disse...

Óia, eu confesso que já fui de carona pro motel, e no dia seguinte saí de lá com carona com o pai de um amigo meu, vergonha total, huahau! E em um caso distante, a Anna pode contar, nós entramos meio que sem querer à pé no motel, huahuahauhauha! Pra alegria dos moleques no ponto de ônibus! E eu mais me diverti nessas situações, é simplesmente ver o copo metade cheio em vez de metade vazio! É só pensar assim: tanta gente por aí de carro e sem ter com quem trepar, por que eu acharia ruim ter o rapaz sem o carro?
Bjus, e as suas mensagens serão passadas para a Anna via código Morse, aleluia!

Camilla disse...

Hahaha adorei!!
Mas é assim mesmo que funciona =)

Coitada da Anna

Manu disse...

hahahahah
adorei o "pedestres também trepam"
hahahaha
mas que dá vergonha da neh
mas no final das contas ninguem te conhece neh

quando vc volta de lost?
hahahahaha

só vale a pena se agarrar o Sawyer
leva ele a pé pro motel com vc
hahaha
bjuss

Tessa disse...

olha, já fui a pé, já fui de táxi...
constrangedor é... mas o tesão era maior haauahauahuaahua

ps: diz pra anna, que já que la tá em lost, aproveitar pra pegar o Sawyer, oportunidade única ehehheheheheheh


bjoks

Fuego disse...

Bom eu já fui no motel a pé
[/simqualéoproblema?

naum entendo esses faniquitos de meninas q pensam mais no carro do que no cara ;)

bjus

Sarah disse...

ai, ir ao motel é trauma pra mim, nao gosto nao, sou chata e nojentinha, no me gusta. Claro se for um chiquetoso, daqueles de 200reais a hora, ai eu ate me interesso por conhecer o lugar.
minha familia é modernosa, minha cama é grande e o namo se hospeda lá mesmo hahahaha

Raquel El-Bachá disse...

Oi Anna. Nunca fui a pé não, mas já ouvi histórias engraçadas de quem já foi.
Tenho ido de motorista ultimamente, pois o carinha não tem carro. Não me incomodo com isso não. A única coisa que me incomoda é o fato do cara morar longe, no outro extremo da cidade.
Beijos.

Aline disse...

Eu ja fui pro motel de taxi e não veria problema nenhum em ir de pé. Desde q valha a pena ^^

Carol disse...

Olha teria um pouco de vergonha de ir apezão mesmo!
Mas tudo se dá um jeito na vida!
O melhor deeve ser de carro, beijos

Docinho disse...

nunca aconteceu comigo
e não sei se teria coragem
acho a ideia hilaria
:P
mas faz parte
quem não tem carro e tem vontade, se jogaaa
:P


bjinhos docinhos

du disse...

.bom. independente dos meios....a pé, carro, táxi....

.não vamos nunca deixar de dar uma por isso né?

...afinal, se vale a pena....ah...todos esses se's, talvezes etc e tal ficam pra trás....rs

abraço

Ka disse...

siiiiim

viva o motel

pra fugir da rotina, dos pais e de quem mais quisermos!

Coração Alado disse...

hahahhahaha
adoreei!!
mas eu morreria de vergonha de ir a pé. e como eu moro no interior, Motel é só em beira de estrada mesmo. aí nem dá!
e minha mãezinha não é tão liberal assim... portanto...
ou é no carro, ou é no motel com um peguete que tenha carro. Mas em OP rola os esquemas das repúblicas. Aí é tranquilo pra todo mundo!! kkkk
mas ultimamente não tem sido em lugar nenhum....hahaha
detalhe triste... rsrs

um beijo!!

Carla disse...

Ahhhh... concordo plenamente com o texto!

Oque não dá é pra ficar na vontade!
Hahaha...

Mariana Valente disse...

hauauahauhauahuahau
olha Anninha, eu nunca fui no motel a pé ainda (e espero não precisar) minha sorte é que meus pretês (ou trepês HAUHAUAHUAHAU) eram motorizados... Mas qdo o cara nao tinha carro e a gente tava na fissura a gente se virava nos trinta pra arrumar um lugar sem ser o motel...
Mas se nao tiver jeito, vamboraaa e sebo nas canelinhas...
Ainda bem que conseguiu sair de Lost, mas eu adoro o friozinho de lá... Lembra eu de mini saia e blusinha na chuva e neblina curtindo adoidada??? adoroooooo

bjoooooo monstrinha
^^

Felipe Francesco disse...

Pois é, infelizmente nossas cidades são todas feitas única e exclusivamente para os automóveis. Às vezes eu penso que os motéis estão à serviço da indústria automobilística tamanha é a infra-estrutura montada só para os automóveis.

Anyway, é curioso como mta gente vem aqui na internet e fala pro mundo inteiro q tem vergonha de ir no motel a pé e vai de carro. Oras, se escreve aqui (para conhecidos) que vai pro motel qual é o problema de entrar a pé? Eu não consigo entender a diferença. Tipo, falar q vou eventualmente ñ é problema, mas falar q estou indo agora, aí é constrangedor?

Enfim, pra mim ñ tem problema nenhum, acho até que motel deveria ter entrada pra pedestre decente. That's it!

Angélica disse...

Tem aquela musiquinha: Vou de taxiiii! Vc sabeeee. Tava morrendoooo de saudadeeee!
UIHEiheiHEiuHEihE