sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Meu Pai, Meu Herói


Quando criança meu pai me parecia o homem mais forte inteligente e capaz do mundo. Era tão alto, tão forte, tão sábio, tudo que eu questionava ele tinha uma explicação, Parecia o Super Homem.
Era ele quem consertava as coisas quebradas, quem sabia assoviar pros passarinhos chegarem perto, quem fazia minha casinha de brinquedo, quem me levava pra soltar pipa (sim eu brincava de pipa), quem ia na escola quando eu brigava com os meninos e me defendia mesmo quando eu estava errada, era quem me levava pro clube e me ensinou a nadar, era a fonte de todas as melhores histórias, tinha na cabeça todos os fatos e todos os números, conhecia todas as regras, todas as leis, era quem distribuía justiça,com sua farda de policial. Ele explicava a vida das minhocas, como funcionava a máquina de lavar e porque se formam ondas no mar.
Ele cultivava alfaces que pareciam borboletas, me ajudava a criar meus coelhos mesmo quando eles fugiam e comiam toda a sua horta me ensinou a plantar cenouras ou enxertar uma rosa.
Me ensinou a olhar e a prestar atenção, a pensar, a questionar ,a explorar.
E então, como mágica, ele se transformou, bem na minha frente, num homem de estatura comum - um homem que buscava pão e leite antes do café da manhã e tirava uma soneca depois do almoço.
Se transformou num homem até mais baixo que os nossos amigos.
Fazendo as mesmas coisas de antes mas agora, do meu ponto de vista, um pouco antiquado.
Pois eu cresci e descobri para mim novos heróis ,ou melhor, meio-crescida.
O tempo passou, e fiquei mais sensata.
E vi, por fim, que ele era realmente o
SUPER-HOMEM,
é que, uma vez feito seu trabalho em meu benefício,preferiu retomar seu suave disfarce.
Fica a homenagem ao meu querido paizinho que eu posso não dizer nunca, mas eu o amo muito, e sou grata por tudo que ele fez e continua fazendo por mim!!!

Kisses cheiissimos de charme!

10 comentários:

Mariana Valente disse...

Nossa Penélope, que linda homenagem... Serve para darmos valor ao homem que é o mais importante das nossas vidas, aquele que nos ajuda a construir quem somos... O Papai!

Adorei de verdade!
beijocas da Mari

MELISSA S disse...

LINDO texto... E se o consellho vale, eu imprimiria e daria pra ele. Pq ele, mais do que todos nós, merece e vai amar ler o q vc escreveu! Beijos

Lari Bernardi disse...

Que lindoo!!! *-*

;*

Jhennifer Cavassola disse...

Aii que lindo! Que bela homenagem :) Ameii!!!

Marie Curie disse...

AH, Penélope querida, assino embaixo da Melissa S: demorou pra vc imprimir e deixar pro seu pai ler. Tão difícil expressar grandes sentimentos no papel (ou no caso, no blog), mas quando conseguimos, devemos nos orgulhar! Papais são importantes para nós, é a primeira referência de homem na nossa vida, né? Os terapeutas podem explicar mais, fico por aqui com o meu movimento Mostra, Penélope! HUahuhaua! Bjus linda!

Cih disse...

Meu pai era aquele que além de me responder tudo que eu relativamente não sabia ainda me enchia de balas garoto de menta!
Te amo pai!
beijos

BelaCavalcanti disse...

nossa tenho um texto tão parecido... É assim mesmo que acontece, eles deixam de ser heróis, mas fica na consciência e na lembrança o "super" homem que sempre tentaram ser pra nos. Adorei - também acho que vc deveria imprimir e mostrar!
beijo.

Ana Julia disse...

Que liiindo! Adorei!!!
bjos bom fds!!!

Anna Oh! disse...

Muito interessante o texto, não só pelo lado "homenagem" mas tb por ser um movimento natural do amadurecimento das pessoas isso de parar de idealizar o pai e passar a enxergá-lo como um sujeito real, normal, mas ainda assim, seu pai.
É importante tb q ele seja TUDO ISSO na infância, vai ser uma eterna referência. E depois q o tempo passar, seja tudo isso na memória e nas pequenas coisas q realiza.
Muito lindo o texto, qrida!
Bjusssss

ps: imprime! imprime!

Andreas Ribeiro disse...

Posso ser o chato da história??

Creio que cresci criando referências paternas e maternas de "Super"... mas qdo percebi falhas tão grandes como todas as pessoas... e qdo vi meu pai uma pessoa tão parcial necessitada de tantas lições na vida q eu mesmo já tinha perdido... o encanto acabou...

Não que eu não os admire e tals... mas dei uma racionalizada na coisa e o "glamour" de uma certa forma se transformou em frustações com o fim da fantasia infantil...