sábado, 6 de setembro de 2008

Mocinha não faz...


Eu cresci ouvindo uma série de coisas que mocinha não faz. Mocinha não pinta as unhas dos pés de vermelho; mocinha não vai “mijar”, vai ao toillette; mocinha, bom, mocinha não arrota, não peita, mocinha não caga.
Um dia eu cansei de ser mocinha, e fui empinar pipa. E pulei o muro da escola, e abri o cadeado em dia de festa. Mocinha foi pro beleléu. Eu decidi que ser mocinha era muito sem graça.
Mais adiante, minha avó tentou me ensinar tricô... crochê, bordado, costura de botão, remendo de cueca e barra de calça. Disse que seria muito útil e coisa que toda mocinha deve saber, prá se garantir pro futuro.
Eu comecei a imaginar que tipo de futuro minha avó havia mentalizado. Coisa desesperadora pra uma menina, uma menininha, não uma mocinha. Mocinha era muito chato, mocinha tinha voz aguda e eu sempre fui mezzo-soprano. Não soprano, soprano é mocinha.
Quando fiz quinze anos, minha avó apareceu com um pacotão. Tirou alguma coisa com uma barra quadriculada, bordada... e eu, imaginando uma toalha, fiz bico ao me deparar com um caminho de mesa. Enorme, coisa de mesa real mesmo. Comecei a me imaginar de um lado da mesa, Barba Azul do outro.
- É pro seu enxoval!
Fui pro quarto.
Namorava um carinha. Quando a ala da família espanhola ligou, ouvi o comentário: “Anna? Anna esta com el novio” – namorado se chama “novio” em espanhol e o simples comentário me dava um frio na espinha. De pavor.
Daí pra frente ouvi que mocinha não tem mais de dois namorados na vida, que mocinha ajuda na cozinha e limpeza da casa, que mocinha só dá depois de casada e, se der antes, é porque tem certeza que vai casar com o sujeito. Mocinha não bebe nem fuma.
Nessa época, já tinha esquecido do molde de mocinha no qual tentavam me encaixar e eu escapulia. O problema é quando o molde é ditado por cada pessoa que cruza com você. Analisam toda sua figura, desesperados, em busca de vestígios de uma mocinha. Só lamento, mocinha is died. Non ecxizzzzzte!
Amigas não-mocinhas resolvem virar mocinhas, quase bonequinhas de prateleira. Mocinhas resolvem se rebelar e atear fogo às saias abaixo do joelho. Garotas que nunca foram mocinhas gargalham, sarcásticas e cheias de vodka.
Mocinhas se satisfazem ouvindo os feitos homéricos das amigas não-mocinhas.
Não-mocinhas também se realizam tendo amigas mocinhas! O sonho de meninice (há muito abandonado) é visto na pele da outra. Também serve pra vermos do que nos livramos! Hhahaahahahaahahahhah

18 comentários:

Úniica e exclusiiva disse...

Ninguém merece "mocinha" HUahuahuahu
Não tinha estes comentários na familia parte da minha mãe graçasadeus! Na do meu pai, aff, que chatice!
Não quero casar, pow! Posso ?!? Huhauhuahuah

Bjs :***

Garotas de Vinte e Poucos disse...

se sou mocinha ou não eu nào sei, mas sei que eu arroto, peido e as vezes taco um foda-se e que se exploda o mundo.
bjo
*lala*

Máah Castro disse...

mocinha não bebe, mocinha não chega tarde... ser mocinha é o Ó ¬¬'

principalmente porque todo mundo te diz o que fazer e o que nãao fazer... ser mocinha é chato!

Mariana Valente disse...

Ai Anna, eu tbm já ouvi tantas vezes esse tipo de comentário sobre o que a mocinha deve ou não fazer... Mocinha não pode subir em cima do freezer nos churrascos da faculdade nem beber cerveja direto do bico da garrafa porque é feioooooo, kkkkkkkkk... (nem por isso eu deixava de fazer)

Acho que se procurar bem tenho ainda alguns leve vestigios de mocinha... Alguns!!! E bem como vc disse, vejo as amigas que ainda teimam em ser mocinhas (e que acham que serão completamente realizadas assim) e fico pensando com meus botões: que pena!!!

Beijocas!!!

Lekkerding. disse...

Concordo PLENAMENTE! hahahahaha

Marie Curie disse...

Como seria o mundo se não tivéssemos tantas diretrizes desde pequenas? E se pudéssemos, por vontade própria, nos interessar por tricô e por futebol? Não sei. Só sei que não curto meninas-Sandy, nem aquelas totalmente não mocinhas. Me parecem que ambas se formam de opostos, a mocinha se forma assim pra não ser falada pela família, enquanto a não mocinah tem pavor de ser encaixada no padrão que a família espera. Agradeço muito a idade que tenho hoje em dia, que me permite escolher, com uma maior liberdade os meus hobbies e atrações, mas antes eu cresci como uma menina mocinha, como vc Anna, e me mudei até o meio entre uma mocinha meio fajuta, haha!
Beijos de sua fã! Amei o dia de hj!
Marie Curie

Black Cat disse...

nossa anna, que post com o final mais malvado! hahahaha
olha, eu acho que cada um tem que ir por onde gosta né? creio que os nossos pais tem que nos mostrar as opçoes quando somos jovens e nunca impor nada... eu tive sorte da minha mae aceitar meu jeito de ser, nao que ela nunca tenha tentado impor algo que ela achasse melhor, mas acho que no fim, se a gente tem personalidade, conseguimos seguir o caminho que a gente quer, nao o imposto pela familia...
e é gostoso ser mocinha as vezes... mas se eu nao puder mais ganhar os campeonatos de arroto com os meninos o que será de mim?
huaihauihuihaa
vcs me conhecem, eu tenho potencial né? :P

Bem Resolvida disse...

aff, aos 11 anos ganhei um skate da xuxa. aos 15 jogava futebol de botão e hj sou viciada em futebol, xingo milhões de palavrões e arroto.
rsrs

mocinha???? :P

Celaah disse...

A vida é um processo de grandes mudanças, nos mudamos as mocinha dentro de nos mudam e viiram mulheres , garotas, rebeldes, pouco importa!Mas crescemos amadurecemos e vemos que vaçlores aintigos não se aplicam mas em nos e que temos uma nova forma de enchergamos o mundo e as coisas "caseiras" ...Já não nos contentam / contemplam como antes a cada dia queremos mais ter nossa liberdade e algo que nos sustente .Não apenas valores antiguados , e si opnioes e participação!

*•·• -=|KÅ®ÎÑÅ|=- •·•* disse...

"Non ecxizzzzzte!" =D

Será que eu fui mocinha algum dia? =O

Camila Florêncio disse...

Sou uma pessoa tão delicada que por dois minutos, teria nascido um menino!
Ou seja, não sou nada mocinha!
rs...

Adorei o texto!

PS: Primeiro comentário mas leio esse blog sempre pelo reader. Mas onde trabalho o mundo é bloqueado! Então não consigo comentar...
=/

Renata - Mulheres Separadas disse...

O que eu mais ouvia era:
- mocinha não joga futebol.
Mas eu adorava jogar!!!!!

Lays Melo disse...

Mocinha? So last week!

"...pra vermos do que nos livramos!"
E, graças a Deus, nos livramos.
Eu sempre fui não-mocinha - jogava futebol, brincava na rua etc.

Beijos

Samantha disse...

Hahuahua eu fui uma menina treinada a ser mocinha.. rs.. como vc pode ja ter percebido pelos meus posts nao deu nada certo rs.. aprendi a bordar, costurar, cozinhar, passar, lavar e todos os verbos terminados em ar... mas acabei gostando mesmo é de dar hauhahauahua

bjao meninas... afinal, ser mocinha é coisa do seculo passado.. bjao

Anna Oh! disse...

Ainda sou meio perdida nesses comments, mas lá vão meus pitacos:

Uniica e exclusiva: acho que a escolha por não casar é um dos motivos pelos quais a mulher mais sofre preconceito. Como se estivesse à margem da sociedade, fosse menos que as outras ou desejasse ser uma eterna adolescente. E não é bem assim.

Lala: eu sou totalmente a favor de arrotar, peidar e falar que vai mijar hehehehehehe, claro q não vamos virar o Shrek, mas...

Maah: poxa, além de chato, é escolher pela privação de sua liberdade de escolha e de agir como bem entende.

Mariana: hahahahahhah, nada mocinha, hain?! Cerveja no bico, vinho no bico, só subir no freezer q eu ainda não fiz... ainda!

Marie: acho mto válidas as transições mocinha/não-mocinha, sao choques de percepçãoe atitude q nos fazem crescer.

BlackCat: eu sou malvada! Mhwhahhahahahahahahaha
Tá, nem tanto! Sendo aceita e não sofrendo tantas pressões pra mudar fica mais fácil transitar entre os dois terrenos, né? E perceber o melhor lado de cada um. Mas qdo uma pressão externa é grandiosa, mais tentador é fazer o contrário.

Bem Resolvida:apesar de não ser tão fã de futebol assim, já tomei vários tapões na cabeça por defender o São Paulo. Qdo dizem q todo blogueiro apanhou na escola, eu concordo, fui esse caso hehehehhehe.

Celaah: qto mais o tempo passa e qto mais nosso campo de possibilidades é ampliado, mais podemos ousar. E é de se admirar as mulheres que são destemidaso suficiente pra enfrentar as adversidades e preconceitos (q sempre tem) e tentar por novos caminhos.

Karina: qualquer mocinha se chocaria com as aulas de psicanálise q a gente tem ahahahahahah!

Camila: owwwnnn, q fofa! É sempre bom qdo o pessoal que lê assim, por meios alternativos vem e comenta. Fico mto feliz! Obrigada!
Bom, delicadeza não é meu forte, aliás, acho q precisa de uma boa dose de surdez pra ser delicada hj em dia huahaauahauahau.

Renata: hmmm, a mulherada gosta de futebol mesmo, hein?! eu q sou meio desinformada, mas aguardem... faremos uma edição Divã Rosa Choque no Morumbi!!!!

Lays: olha, futebol novamente. Eu jogava bastante futebol de botão, isso eu lembro, eu detonando as pecinhas do meu irmão. Ah, tem coisa melhor do q se emporcalhar e perder a pose de mocinha?! =)

Samantha: hauahauahauahauahuahaauahauahau, me matou de rir! Afinal, temos que escolher o "ar" que fazemos de melhor! Huahauahauhauahauaahu


Thanx, gurias pelos comentários! =)

Andreas Ribeiro disse...

Mocinhas não são tão boas companhias!!!

Quem vai beber coma gente, assistir o jogo, ir no estádio e rir de um arroto master alto??

Mas tbm não acho que precise "fugir" de certas coisas só porque é de mocinha... tem q ser natural, fazer o q der na telha sem se importar com o rótulo que akilo tbm...

Bjos
Andy

Ps. mas o verbo "ar" da Samantha é mto importante =D

Angel disse...

Eu fui uma perfeita mocinha até exatamente quatro meses atrás.

Mas cansei disso.
Me rebelei e vejo minha família olhar chocada para mim agora só porque passei a noite fora.

Não estava fazendo nada demais. Tá... Umas coisinhas assim. rsrs
Mas poxa... Não posso sair à noite?

Tenho mais de 20 e menos de 30 anos. kkkk

Não consigo mais ser a mocinha que eles esperam de mim. :(

É como uma frase que eu gosto muito: "Tt´s human nature to be free. And no matter how long you try to be good, you can´t keep a bad girl down."

Sorry, mãe, pai.
Eu cresci. rsrs

Jhennifer Cavassola disse...

kkkk cresci ouvindo essas coisas também rss. É F... uma coisa dessas.

Atenção especial pra essa frase: "Anna esta com el novio”... e o simples comentário me dava um frio na espinha."

Maravilha de blog! Parabéns!