sábado, 28 de junho de 2008

Peligro! Danger! Perigo!

A mulher é um ser fascinante, vibrante, cheio de mistérios, é poderosa, divina, linda...! Até que chega um palhaço qualquer e ela se apaixona. Aí pronto, estraga tudo!!
Muitas mulheres, quanto se apaixonam, perdem a noção do "eu" e passam a viver o "ele"! E aí, onde vai parar todo aquele fogo, aquela personalidade incrível, tudo aquilo que a mulher tem de admirável? Pro lixo... O amor é o calcanhar de aquiles da mulher, na verdade o seu pior inimigo! Não que o amor seja algo ruim, mas é uma coisa com a qual, nós mulheres não sabemos lidar, e acabamos destroçadas por ele, acaba virando uma arma mortal contra nós mesmas!!
O remédio não é não se apaixonar mais... mas sim, demonstrar e sentir de uma forma diferente! Amiga, pare para pensar!! O cara nem te interessa muito, aí você faz um agradinho aqui, um chutezinho ali, fica nesse joguinho e o que acontece...?? O cara tá na sua mão!
Mas a partir do momento em que você começa a gostar dele, ihh...
Ai você demoooonstra, faz mil elogios, tá sempre disponível, mooorre se ele não está on no msn, fica mandando sms apaixonados pra ele... O q acontece?? Daqui a um tempo, surprise surprise... O cara te larga!!
Ele é um canalha?? Não! Foi você quem mudou! Você era uma mulher extremamente exuberante, cheia de encantos quando ele te conheceu (esse é seu verdadeiro eu). Mas e depois, que fué del amor, como pudo morir?? O que aconteceu, foi que você apagou a sua luz interior para viver em função dele! O homem quer uma mulher, não um capacho!!
Eu sei por experiência própria, tudo isso que vos digo, leitores amados. Eu já fui um capachinho de um cara, e ele era meu mundo, e eu não passava de um capachinho mesmo, ou melhor, de lanchinho, ou ambos. E no começo, ele era gamado em mim, e eu não queria. Quando me apaixonei, o jogo virou e eu perdi! E perdi feio... não só o cara, mas perdi também auto-confiança, dignidade, amor-próprio e outras coisas do genêro. O cara em si, não valia muita coisa mesmo. Hoje eu sei disso, deveria ter escutado a minha mãe, ueo chamava de "trôço"... era engraçado, ela me falava com cara de nojo - "o trôço já ligou de novo!"
E eu tenho a consiência, de que se eu não ficar bastante dona de mim, eu posso cair de novo.Minha mãe me falava: - "Se você quer um homem pra você, chuta bastante ele que aí você consegue!"
Quantas mulheres não sofrem o mesmo drama? É só assistir um dia o programa do Gasparetto um dia! É só ver as pessoas por aí! Claro que tem também as mulheres espertas que não se deixam dominar, e seguem sendo elas mesmas, duela a quien duela, e essas sim, tem todo o poder! Mas elas ainda são poucas, infelizmente! São poucas as que não deixam a paixão virar uma bomba que vai explodir na cara delas a qualquer momento!


Fica dado o recado: meninas, sem muita sede ao pote. Mais pra você e menos pra ele! Se cuide, se ame, se valorize, pense primeiro em você! Não vire uma idiota apaixonada, não deixe ele ou o sentimento por ele te dominar. Ame sim, mas seja prudente e não force a barra. Cuidado ao se apaixonar!!!
É muito tênue a linha que divide a dose de paixão que você pode tomar sem se matar.

3 comentários:

consecutivo disse...

Sabe ? eu nao vou mentir que ja me afoguei nessa garrafa maldita e nem vou negar que ja tambem senti odio por ter sido tao tola... mas hoje eu paro e penso que nao vale ser tao racional nao vale ser tao emotiva nem tao todas as outras coisas...

o importante é sua vontade ali na hora, no instante, do que vc quer.. quando vc acordar afim de ligar, liga! quando vc acordar achando que ele nao merece nada, nao de! nao pense mt nao fique raciocinando ou analisando, pesando quem deu mais ou menos... faça o que vc tiver vontade!

sendo assim, vc vai ter dias de acordar e trazer o café na cama, e vai ter dias de acordar, olhar pro lado e por suas roupas de academia e ir correr (ou pedalar como foi meu caso hj) pela rua...

não se prenda tanto ao logico, faça o que te der vontade... nao fique pensando que "ai nao vou sair com aquele pessoal pra aquele bar pq ele pode achar ruim... ", ele nao vai se dar o trabalho de pensar tanto!

respeite a posição do outro mas nao se anule em função disso, quando quiser se dedicar , se dedique.. quando nao quiser, levante e va cuidar de si mesma, fazer um exercicio, resolver aquela coisa, passar hrs com comprinhas bobas no shopping e no fim do dia , liga pra ele e pede uma carona!

Anna Oh! disse...

Eu já fui dessas, aliás, acho que preciso de algum treino pra deixar de ser... como disse a amiga acima, não tem como polarizar isso, ou ser totalemnte emocional ou racional. O jeito é ir levando, mas ouvindo SEMPRE e priorizando suas necessidades, não as dele.
No fundo disso tudo tem questões de auto-estima, de estar bem consigo mesma para se relacionar com outra pessoa sem passar por cima dos SEUS próprios limites.
Agora, como ninguém consegue estar bem consigo o tempo todo, caímos nessa armadilha feita por nós mesmas... deve-se ter muuuuito discernimento pra separar amor de carência, de paixonite, de fogo de palaha, de pega passageiro, de conveniência...

Andreas Ribeiro disse...

Não dá pra afirmar q esse tipo de atitude vá semopre atrair os guris, ou que aquele tipo vai fazê-lo sempre te fazer de tonta... o que todos tem que tomar cuidado, é para não extrapolar seus limites, deixar de se respeitar em prol do outro... de resto, é fazer mesmo o que deseja, sem achar que estará sendo afável demais ou de menos...

bjos
Andreas